O uso pedagógico da tecnologia blog no ensino fundamental da rede municipal de Canoas

27/11/2013 12:49

 

 

 

 

 

 

 

 

TÂNIA TRAUB FRIES

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O uso pedagógico da tecnologia blog no ensino fundamental da rede

municipal de Canoas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CANOAS

2012

 

 

 

 

 

 

 

TÂNIA TRAUB FRIES

 

 

 

 

 

 

Uso pedagógico da tecnologia Blog no ensino fundamental da rede

Municipal de Canoas

 

 

 

 

 

Projeto de pesquisa apresentado ao Curso de Especialização em Ação Educativa no Ensino Fundamental, do Centro Universitário La Salle (Unilasalle).

 

 

 

 

 

 

 

Orientação: Bárbara Gorziza Avila  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CANOAS

2012

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Educador e educando, os dois seres criadores, libertam-se mutuamente para chegarem a ser, ambos, criadores de novas realidades”.

Paulo Freire

 

 

AGRADECIMENTOS

 

 

 

A Deus por permitir que eu cumprisse mais esta etapa em minha vida e por iluminar meu caminho quando parecia estar em grande escuridão.

Ao meu esposo, Paulo Fries, pelo amor incondicional, pelo incentivo e pelas caronas.

Ao meu amado e único filho, Ricardo, pela compreensão e carinho dedicados no transcurso deste estudo.

Aos meus queridos pais, aos quais devo a formação de minha personalidade e caráter.

À minha orientadora Bárbara G. Ávila, por todo o auxílio e apoio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RESUMO

 

Neste trabalho de conclusão do curso de Especialização em Ação Educativa no Ensino Fundamental, apresenta-se uma reflexão sobre o uso da tecnologia blog como ferramenta educacional, a fim de demonstrar as possibilidades de uso desta no processo de ensino/aprendizagem, enfatizando a sua importância para a construção do conhecimento. Buscou-se também estudar como vem ocorrendo o processo de colaboração entre alunos e professores, nas escolas da rede municipal de ensino, que utilizam o blog no contexto escolar. Para identificar a aplicação desta ferramenta no âmbito educacional do município de Canoas, é proposta uma análise sobre que uso os professores das múltiplas tecnologias fazem do blog nas atividades escolares. Tal pesquisa evidenciou que a tecnologia blog não vem sendo explorada pela maioria dos professores das escolas da rede municipal de Canoas, embora se tenha consciência quanto à sua importância como ferramenta educacional. Percebe-se a necessidade de capacitações que se voltem para o desenvolvimento de conhecimentos básicos de informática, além de formações direcionadas para as possibilidades pedagógicas que o blog oferece. Conclui-se que o Blog, por ensejar práticas colaborativas que despertam o interesse do alunado, deve ser objeto de conhecimento por parte do corpo docente para que se concretize uma eficiente aplicação deste recurso no âmbito escolar.

 

 

Palavras-chave: Blog. Educação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ABSTRACT

 

This Completion of Course of Specialization in Educational Action in Elementary Education study presents a reflection about the use of the blog technology as an educational tool, to demonstrate the possibilities of using this in the teaching / learning process, emphasizing its importance for the construction of knowledge. We sought to study how well is occurring the collaboration process in municipal schools that use the blog in the educational context. To identify the application of this tool in the Canoas’s educational field, we propose an analysis of the use of multiple technologies that teachers give the blog in school activities.This research showed that the technology blog is not being exploited by the majority of teachers in Canoas’s municipal schools, although one is aware about its importance as an educational tool. Realizes the need for training that will turn to the development of basic computer skills, and training directed to the pedagogical possibilities that the Blog offers. We conclude that the Blog, that gives rise to collaborative practices to arouse the interest of students, must be the object of knowledge by faculty order to achieve an efficient implementation of this feature in the school.

 

 

 

Key words: Blog. Education.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LISTA DE QUADROS

 

Quadro 1 – Observação dos blogs educativos publicados por escolas da rede municipal da cidade de Canoas................................................................................................................................... 50

 

LISTA DE FIGURAS

 

Figura 1 – Principais possibilidades de exploração pedagógica em blogs,         centradas na vertente de recurso pedagógico e na vertente de estratégia pedagógica ......................................  22

Figura 2 – Página inicial do blog da E. M. E. F. Pinto Bandeira.................................. 24

Figura 3 – Página inicial do blog Fala (e escreve) sério!.............................................. 25

Figura 4– Página inicial do blog Artistas e Arteiros....................................................... 26

Figura 5 – Página  inicial do blog por grupo de pesquisa da E. M. E. F. Governador Walter Peracchi Barcellos................................................................................................................................ 26

Figura 6 – Blog da E. M. E. F. Governador Walter Peracchi Barcellos....................... 27

Figura 7 – Blog Registro do bairro Guajuviras................................................................ 28

Figura 8 – Página inicial do blog da E. M. E. F. Rio de Janeiro................................... 30

Figura 9 – Página inicial do Blog de Pesquisa Ambiental........................................... 33

Figura 10 – Fluxograma do perfil esperado para os participantes .............................  34

Figura 11 – Post com textos colaborativos...................................................................... 35

Figura 12 – Formação do professor.................................................................................. 43

Figura 13 – Impedimento para o uso das TICs nas escolas........................................ 44

Figura 14 – Já construiu um blog educacional para uso pedagógico em sua escola?

........................................................................................................................................ 45

Figura 15 – Utiliza e conhece as vantagens dos blogs educativos no processo da construção da aprendizagem? ....................................................................................................................  56

Figura 16 – Há relação entre blogs educativos e a Proposta Político Pedagógica da sua escola?      17

Figura 17 – Os alunos são administradores de Blogs educacionais na sua instituição?          31

Figura 18 – Há blogosferas que possuem um conjunto de práticas educativas com uma grande diversidade de abordagens. Você é participante de alguma?...................................... 33

Figura 19– Marque as possíveis utilizações da tecnologia blog, enquanto recurso ou estratégia pedagógica............................................................................................................................ 49

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SUMÁRIO

 

1. INTRODUÇÃO................................................................................................................. 11

1.1 Justificativa.................................................................................................................... 12

1.2 Problema........................................................................................................................ 13

1.3 Objetivos........................................................................................................................ 13

1.3.1 Objetivo Geral.............................................................................................................. 13

1.3.2 Objetivos Específicos................................................................................................. 13

2. WEB: UM ESPAÇO DE AUTORIA E COLABORAÇÃO........................................... 15

2.1 O blog como ferramenta para mediação pedagógica........................................ 18

2.2 Projetos educacionais com o uso do blog........................................................... 23

2.2.1 Projetos com o blog na E. M. E. F. Rio de Janeiro................................................ 28

2.2.1.1 Blog institucional..................................................................................................... 29

2.2.1.2 Blog por equipes de estudos................................................................................. 30

2.2.1.3 Blog por grupo de pesquisa.................................................................................. 32

3. A INFORMÁTICA EDUCACIONAL NA REDE MUNICIPAL DE CANOAS............ 37

4. METODOLOGIA............................................................................................................... 40

4.1 Critérios utilizados para a avaliação dos blogs................................................... 41

4.2 Participantes da pesquisa......................................................................................... 42

5. RESULTADOS................................................................................................................. 43

5.1. Resultado e análise dos questionários fechados.............................................. 43

5.2. Análise dos blogs........................................................................................................ 50

5.3. Análise de conteúdo do questionário aberto...................................................... 55

5.4. Fechamento das análises......................................................................................... 57

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................................................... 60

REFERÊNCIAS.................................................................................................................... 63

APÊNDICE A – Questionário para os professores do projeto Múltiplas Tecnologias...      66

APÊNDICE B – Questionário para coordenadora do Núcleo de Tecnologia Educacional do município.............................................................................................................................. 68

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

            Esta pesquisa se propõe a analisar como vem ocorrendo o processo de colaboração nas escolas da rede municipal de ensino, que utilizam a tecnologia blog como estratégia pedagógica, tendo em vista a necessidade de se pensar numa pedagogia inovadora com uma visão de interdisciplinaridade e globalização. 

            O blog pode ser explorado em estratégias inovadoras de aprendizagem, sendo estas valiosas para o fortalecimento da relação entre professor-aluno. No momento em que o professor volta seu olhar aos reais interesses do seu aluno, ele torna-se mais do que um mediador no processo ensino aprendizagem, pois através da interação com o compartilhamento de ideias é possível que ambos possam aprender e ensinar.

            Para utilizar o blog no contexto educacional é necessário mais do que um laboratório de informática com acesso à internet. Fazem-se necessários profissionais capacitados e com conhecimentos práticos da blogosfera educacional para que se possa implantar o uso deste recurso na totalidade de escolas da rede. Atualmente, em Canoas, das quarenta e duas escolas integrantes do projeto de informática Múltiplas Tecnologias[1], apenas dezesseis exploram o uso do blog como ferramenta pedagógica. Então se fazem necessárias as perguntas: “Por que não usar tais recursos para cativar o aluno?”; “Por que não permitir que eles sejam os sujeitos da sua aprendizagem e não meros espectadores?”.

          Na busca por aproximar a ferramenta Blog das escolas da rede, a presente pesquisa buscou identificar dificuldades para o uso deste recurso pelos professores das múltiplas tecnologias nas diferentes instituições. São discutidas também iniciativas que já vêm ocorrendo na rede com o blog e que poderão ser, posteriormente, disseminadas entre as escolas.

             Para apresentar a pesquisa realizada, o texto foi organizado da seguinte forma: no capítulo 2, apresenta-se uma breve discussão sobre a utilização da web 2.0 como ferramenta educacional em um contexto mais amplo, a fim de que se possa compreender o seu uso como estratégia metodológica no cotidiano escolar da atualidade, bem como as inúmeras aplicações e benefícios na sala de aula.

O subcapítulo 2.1 enfoca o blog como ferramenta para mediação pedagógica fazendo-se a distinção entre recurso e estratégia, tendo em vista que o simples fato de utilizar o blog na educação não significa que este esteja sendo explorado devidamente, valorizando todo o potencial pedagógico que este recurso tem para oferecer.

Após, no subcapítulo 2.2, é exposto o corpus, no qual são apresentadas algumas intervenções com o uso destes recursos nas escolas da rede municipal de Canoas, e que serão objetos da análise a ser efetuada no capítulo subsequente.

No capítulo três será apresentada a metodologia da pesquisa realizada, na qual os dados deverão ser organizados para posterior análise.

No quarto capítulo, terá lugar a análise dos dados coletados, onde se busca identificar as principais dificuldades dos professores no uso pedagógico dos blogs, além de ser realizada uma análise sobre os blogs que vêm sendo explorados no âmbito das instituições escolares de Canoas.

            Nas considerações finais, é feito o fechamento da pesquisa realizada, sendo discutidas algumas estratégias tecnológicas inovadoras, partir das quais se busca despertar o interesse do alunado. Salienta-se que o desgaste emocional do professor tende a aumentar enquanto este continuar utilizando metodologias inadequadas à clientela que emerge do universo digital.

 

 

1.1      Justificativa

 

Como educadora e pesquisadora, percebo que trilhar novas etapas e apropriar-se de novos conceitos são práticas fundamentais à atuação docente. É necessário estar constantemente buscando, pesquisando, revendo e aprimorando os conhecimentos relacionados às questões educacionais, pois ainda há uma longa caminhada a ser feita. Os alunos não são mais os mesmos: seus interesses divergem completamente dos alunos que sentavam nos bancos escolares de alguns anos atrás. Entretanto, hoje, embora a sociedade esteja em pleno desenvolvimento, tanto humano como tecnológico, os métodos de ensino permanecem ainda rígidos e obsoletos nos hábitos profissionais de muitos docentes.

Portanto, percebo a importância de se conscientizar a comunidade escolar de que o desenvolvimento de práticas pedagógicas pautadas no uso de novas tecnologias tem o potencial de oferecer experiências de ensino e aprendizagem significativas e motivadoras.  Cabe ao docente aceitar o desafio de oferecer espaços de socialização através das tecnologias nos quais seja promovida a interação do aluno com o meio, onde novos saberes sejam construídos colaborativamente despertando a sua capacidade de reflexão, estabelecendo novas relações, identificando problemas e procurando alternativas para solucioná-los. Foi com base neste ponto de vista que busquei conhecer a realidade de uso do blog pelos professores dentro da rede de ensino.

           Um levantamento e análise sobre o uso de blogs nas práticas dos professores permitem identificar se tal ferramenta vem sendo bem explorada no âmbito educacional, ou se são necessárias adequações para promover o seu uso de forma eficiente. Salienta-se que conhecer a realidade é essencial para que se tenha o poder de modificá-la.

 

1.2      Problema

 Os professores da rede municipal de Canoas, que atuam na área das múltiplas tecnologias nas escolas do ensino fundamental, fazem uso de Blogs na prática pedagógica? Como?

 

1.3      Objetivos

1.3.1 Objetivo Geral :

·        Analisar que uso os professores das múltiplas tecnologias fazem do  blog no contexto escolar.

 

1.3.2 Objetivos Específicos:

·        Observar práticas didático-pedagógicas, com o uso de blogs na rede municipal de Canoas.

·        Quantificar o uso de blogs nas escolas da rede municipal de ensino que possuem o projeto Múltiplas Tecnologias;

·       Sinalizar processos formativos com o uso de Blogs educacionais. 

 

 

 

 

2. WEB: UM ESPAÇO DE AUTORIA E COLABORAÇÃO

 

A Web 2.0 possui várias definições e contradições sobre sua real existência, mas, de um modo geral, acredita-se que esta seja uma nova versão da internet com conteúdo dinâmico e aberto à participação dos internautas que podem compartilhar, colaborar e interagir com as informações da rede.   De acordo com Primo (2007, p.1),

 

 

[...] a Web 2.0 é a segunda geração de serviços online e caracteriza-se por potencializar as formas de publicação, compartilhamento e organização de informações, além de ampliar os espaços para a interação entre os participantes do processo. 

 

 

É uma Web mais social onde a utilização da internet pode ser realizada como meio para criar, compartilhar, colaborar, publicar e interagir com a informação na rede. Segundo Primo (2007), a Web 2.0 tem a intenção de proporcionar a potencialidade nas formas de publicação, compartilhamento e organização de informações, além de estender o ambiente para a interação entre os participantes do sistema.

Se antes as pessoas ficavam limitadas a interagir passivamente com publicações, atualmente, podem participar ativamente dentro da rede. No contexto da web 2.0 não é preciso grande conhecimento da linguagem de programação para ter este espaço e estar interconectado com outros grupos. Assim como diz Primo (2008, p.64):

 

[...] se na primeira geração da web boa parte da atividade de um internauta ficava presa nos corredores dos portais, a web 2.0 valoriza principalmente as práticas cooperativas, os diálogos e as negociações, as contínuas problematizações. Ou seja, a interação mútua.

 

Têm-se como exemplos de recursos oferecidos no âmbito da web 2.0 as páginas wiki, que permitem a edição e publicação de conteúdo de forma colaborativa; os alimentadores instantâneos (RSS) que possibilitam o compartilhamento de atualizações realizadas em páginas web; ferramentas da rede social que promovem a divulgação de conteúdo para grupos de contato, como o Flickr, o Twitter e o Facebook; ou páginas pessoais, cujo conteúdo pode ser construído de forma colaborativa e que pode estar disponível ao acesso geral na web, como é o caso dos Blogs. Considera-se que a evolução dos espaços na Web 2.0 dá origem a várias tecnologias, situando-se dentre elas o blog, o qual conheceremos um pouco da sua história e de como ela é utilizada.

            Em 1997, Jorn Barger, considerado um dos primeiros blogueiros, concebeu o termo “weblog”, definindo-o como uma página da Web, onde qualquer pessoa pode colocar uma mensagem, além de reunir e expor outras páginas de seu interesse. O termo foi alterado por Peter Merholz, que decidiu pronunciar “wee-blog”, que tornou inevitável o encurtamento para o termo definitivo “blog” (FERREIRA, 2008).

            Komesu (2005) cita que na década de 1990 eram poucos os que utilizavam a ferramenta blog. Com a criação do Blogger[2], em 1999, começaram a aparecer inúmeros blogs sobre diversos temas. A liberdade para reflexões dos seus administradores, a organização de notas, mensagens e o compartilhamento de suas ideias criou a possibilidade de novas interações, tecidas na rede da web. Eis que:

 

O software fora concebido como uma alternativa popular para publicação de textos on-line, uma vez que a ferramenta dispensava o conhecimento especializado em computação. A facilidade para a edição, atualização e manutenção dos textos em rede foram – e são – os principais atributos para o sucesso e a difusão dessa chamada ferramenta de auto expressão (KOMESU, 2005, p. 111).

 

            Define-se blog como ambiente onde são publicadas informações (textos, vídeos, imagens), comentários e indicações de links, além de ser um ambiente que possibilita aos seus leitores, realizar debate de ideias independente da localização das pessoas, estimulando a comunicação, o compartilhamento de informações e conhecimentos e a liberdade de expressão. De acordo com Veen Wim (2009, p. 96):

 

A nova tecnologia nos apresentou a mudança. Podemos agora acessar muitas informações e de maneira muito mais rápida do que antes. Nos últimos anos, observamos um uso cada vez maior da internet como era no inicio: um meio de comunicação. Já que tecnologia da computação invadiu todos os setores de nossas vidas, foi apenas lógico que ela não deixasse de fazê-lo com uma das instituições centrais com as quais somos confrontados desde a mais tenra juventude: as escolas.

 

            A necessidade de rapidez na comunicação leva ao informalismo linguístico. Segundo Ruiz (2005, p. 121), a linguagem do chat migrou para o ambiente dos blogs: “[...] tudo leva a crer que estejam simplesmente importando para o blog as formas linguísticas típicas do discurso do chat”. Realmente, é possível perceber que muitas expressões já consagradas pelos internautas em outros sites de relacionamentos estão se incorporando ao acervo linguístico dos blogueiros.

Diferente dos e-mails e chats, um visitante pode deixar registrado - na sessão comentários - o que achou da postagem e até mesmo impressões sobre a pessoa do blogueiro em questão. E para ter acesso a esta tecnologia não é necessário nada além de um computador com acesso à internet.

            Os blogs são registros similares aos diários escritos e às agendas contemporâneas que, devido ao seu fácil acesso, vêm despertando o interesse e, com isto, se multiplicando dia a dia.

            Hoje, com a evolução da Web, o blog pode ser usado para divulgar fotos, vídeos, críticas e comentários sobre filmes e livros, assim como, servem para esclarecer dúvidas de qualquer natureza, inclusive escolares, ampliando a qualidade das práticas pedagógicas como um canal de comunicação entre professores e alunos.

            Muitos educadores ainda buscam estratégias didáticas para cativar seus alunos e, às vezes, não percebem que ela está diante de todos: a web. Sabendo explorá-la, conduzindo pesquisas, produções escritas e atividades de diferentes áreas de conhecimento, o professor promoverá a construção de conhecimento de uma maneira lúdica e agradável. Sancho (2006, p.21), diz que:

Quem considera que a aprendizagem se baseia na troca e na cooperação,       no enfrentamento de riscos, na elaboração de hipóteses, no contraste, na argumentação, no reconhecimento do outro e na aceitação da diversidade vê nos sistemas informáticos, na navegação pela informação e na ampliação da comunicação com pessoas e instituições geograficamente distantes a resposta às limitações do espaço escolar.

 

            Conforme afirma Lemos (2004, p.256, 257) “As novas tecnologias tornam-se onipresentes ao ponto de não podemos discernir claramente onde começam e onde terminam (chips em geladeiras, automóveis ou relógios, cartões eletrônicos, smartcards, celulares, etc.).” Sendo assim os conteúdos da contemporaneidade, precisam ser contemplados pelas práticas pedagógicas da escola atual, a fim de que as aulas, até então, monótonas e repetitivas, se tornem mais interessantes aos jovens. Desta forma, muitos outros fatores serão beneficiados: é plausível que se identifique melhorias no processo de aprendizagem, além do fato de que problemas como a evasão e a repetência deverão diminuir.

             Segundo Pierre Lévy (1993), devido ao não conhecimento do momento em que se vive, diante das velozes mudanças e inúmeras interrogações e incertezas, muitas pessoas, preferem abraçar as críticas sobre a técnica, nascidas do medo e da ignorância, do que investir em estudos para conhecer o que se passa.

      

O cúmulo da cegueira é atingido quando as antigas técnicas são declaradas culturais e impregnadas de valores, enquanto que as novas são denunciadas como bárbaras e contrárias à vida. Alguém que condena a informática não pensaria nunca em criticar a impressão e menos ainda a escrita. Isso, porque a impressão e a escrita (que são técnicas!) o constituem em demasia para que ele pense em apontá-las como estrangeiras (LÉVY, 1993, p. 15).

        

Como se vê, a humanidade está na era das telecomunicações, porém, segundo Lévy (1999 a), está passando despercebida a grandeza dessa nova realidade, e isso faz desconhecer totalmente os benefícios que essa revolução pode vir a nos oferecer, principalmente no campo do conhecimento. A web torna-se um exemplo quando é utilizada apenas como um instrumento de transmissão de informações, ao invés de ser explorada como um espaço para a construção de conhecimento.

Em virtude disso, discutir-se-á a seguir o emprego do blog como uma ferramenta para uma mediação pedagógica pautada nas práticas de autoria e na construção colaborativa de aprendizagens.

 

2.1. O blog como ferramenta para a mediação pedagógica

 

No início do século passado, Lev S. Vygotsky, professor e pesquisador russo, apresentou estudos confirmando que o desenvolvimento cognitivo é impactado por interações e relações sociais. Ou seja, aprender é uma atividade social mediada pelos colegas e professor; e não uma tarefa isolada (LA TAILLE, OLIVEIRA e DANTAS, 1992); (VYGOTSKY, 2008). Este é o conceito do aprendizado colaborativo.

 A aprendizagem colaborativa proporciona experiências dentro de um contexto que conduz a noções como as de autoria, validade e certificação do conhecimento, à relação entre quem aprende e quem ensina e à possibilidade da participação de todos.   Alunos com menor experiência podem aprender com aqueles que já têm maior conhecimento do conteúdo, tendo o professor como mediador e não como agente central do processo de aprendizagem.

Segundo Scholosser (2010), o Canadá foi um dos primeiros países a introduzir o ensino colaborativo online. Desde então, a maioria das universidades do Canadá utiliza o modelo pedagógico colaborativo.  Além disso, o trabalho colaborativo tem conquistado escolas e cursos de capacitação profissional em todo o país.

O processo de ensino e aprendizagem pautado na colaboração é uma estratégia que possibilita a junção de saberes comuns a todos (professores e alunos), ao mesmo tempo em que conhecimentos individuais podem ser compartilhados, o que vem a promover o estabelecimento de uma extensa rede cognitiva.

A aprendizagem colaborativa responsabiliza os membros de uma comunidade de um modo que eles sejam o eixo central da sua própria escolarização, contribuindo com seus conhecimentos. O processo de ensino aprendizagem não está somente envolvendo a ligação professor/aluno, mas sim todos aqueles que fazem parte do grupo de aprendizagem. O compartilhamento desta rede de aprendizagem pode estimular a formação de novas ideais e de novos saberes, através da troca de experiências.

As informações são potencialmente socializadas quando se utiliza a blogosfera, acelerando, desta forma, a construção e reconstrução dos saberes, o que faz desta ferramenta um ótimo recurso a ser implementado na construção de práticas pedagógicas inovadoras.

Este tipo de ensino com pesquisa, abordagem progressista e visão holística, é exemplo de inteligência coletiva, definida por Lévy (1999.b, p.28) como:

[...] uma inteligência distribuída por toda a parte, incessantemente valorizada, coordenada em tempo real, que resulta uma mobilização efetiva das competências.

Cada pessoa no mundo sabe alguma coisa e concentra algum tipo de saber. Para Lévy (1999.b, p. 30) “[...] quando valorizamos o outro de acordo com o leque variado de seus saberes permitimos que se identifique de um modo novo e positivo”, uma vez que incentiva as trocas ativas de ideias - construção social, pois é uma estratégia de ensino na qual os alunos com diferentes potencialidades e limitações trabalham tendo uma única meta.

Segundo Lara (2005), as primeiras redes de professores a utilizarem blog como ferramenta pedagógica surgiram com o portal britânico Schoolblogs.com[3], criado em 2001 e com o grupo Education Bloggers Network, com sede nos Estados Unidos da América. Desde então, o blog é um recurso presente no dia a dia de muitos professores e alunos nas aulas presenciais ou até mesmo na modalidade a distância.

O número de blogs vem crescendo continuamente, em função da popularização das ferramentas para sua criação e edição. Essa situação tem levado muitos professores e alunos, de todos os níveis de ensino, a enxergarem esses espaços digitais como uma nova forma de aprender, ensinar, informar, conhecer, compartilhar, publicar e de se comunicar. São formas de saberes e fazeres num contexto de relações e conexões sociais onde a transmissão e circulação de informações acontecem dentro de um grande fluxo. Por isso Lévy (1993 p. 7) afirma que “[...] novas maneiras de pensar e de conviver estão sendo elaboradas no mundo das telecomunicações e da informática”.

A colaboração é fundamental na educação, pois com ela podemos desenvolver competências de estratégias sociais, psicológicas e operacionais. Trabalhando com construções conjuntas do conhecimento, com responsabilidade individual e do grupo. Lins afirma que (2005, p.151) “Colaborar também pode ser coordenar pontos de vista diferentes, obtendo reciprocidade, complementaridade e respeito mútuo”.

O blog é um importante instrumento para atividades colaborativas e, por esta característica, torna-se uma ferramenta interessante para se explorar na área educacional. Acredita-se que, ao considerar o blog como ambiente virtual de aprendizagem, a aprendizagem neste ambiente não pode ser passiva uma vez que o aluno pode ser desafiado a participar e interagir na construção do conhecimento.

          Desta forma, o educador da modernidade deve ser capaz de perceber os avanços científicos e as mudanças que eles têm promovido na sociedade, exigindo novas aprendizagens e habilidades que deverão ser pensadas, planejadas e desenvolvidas no interior das escolas. A desacomodação do professor é necessária e urgente. Os alunos precisam de alguém não somente capaz de canalizar seus conhecimentos, mas também que tenha a sensibilidade de captar as aspirações dos discentes, e que esteja apto a orientá-los sobre as regras de convivência no mundo digital. Estes são aspectos importantes para que os alunos de hoje se tornem cidadãos independentes e autônomos, mas conscientes dos seus deveres perante a sociedade, não utilizando os recursos midiáticos de maneira exagerada ou mesmo imoral como se tem assistido diariamente nos meios de comunicação.

            Os alunos devem ser responsáveis pela sua atuação nos ambientes virtuais de forma colaborativa e desta forma serem agentes do seu processo de aprendizagem, pois aprender é um processo ativo, do qual tanto professor quanto aluno devem participar.

         Quando se considera o blog uma ferramenta pedagógica de interação e compartilhamento de ideias, compreende-se grande parte do seu potencial na área educacional. Os jovens costumam estar na busca pela interação, e este ambiente virtual pode fazer parte deste processo ativo, pois aprender é isso “movimento”.

Segundo Freire (1983, p.13):

 

No processo de aprendizagem, só aprende verdadeiramente aquele que se apropria do aprendido, transformando-o em apreendido, com o que pode, por isso mesmo, re-inventá-lo [...].

 

Percebe-se que a apropriação sobre os recursos tecnológicos, assim como a reflexão sobre suas possibilidades, deve ser uma ação pedagógica frequente. Neste caso, deverão surgir propostas com atividades e estratégias diferenciadas para uso dos blogs, visto que são muitas as suas possibilidades de aplicação educacional.

Gomes e Lopes (2007, p. 121) diferenciam o uso do blog por meio de uma representação gráfica, abaixo, que sintetiza a ideia sobre formas de se explorar esta ferramenta dentro de duas possibilidades didáticas:

 
 

 

 

Figura 1- Principais possibilidades de exploração pedagógica em blogs, centradas na vertente de recurso pedagógico e na vertente de estratégia pedagógica.

Fonte: http://tecnologiasnaeducacao.pro.br/revista/a1n1/art10.pdf

 

Segundo Gomes e Lopes (2007), quando se utiliza a tecnologia blog como recurso pedagógico, restringe-se as atividades à disponibilização de informações com hiperlinks e conteúdos específicos. Mas quando a proposta está vinculada a uma estratégia de ensino aprendizagem amplia-se o uso da ferramenta, possibilitando que os alunos interajam e colaborem na construção do conhecimento, não se limitando unicamente a atuar como receptores de informação. Neste caso, cabe ao professor dosar de forma eficiente o momento em que os alunos realizam as pesquisas, seleções, análises, sínteses e quando iniciam a publicação de informações para que os mesmos não fujam do escopo da atividade proposta. Nóvoa (2004, p. 7) alerta que:

 

[...] o mínimo que se exige de um educador é que seja capaz de sentir os desafios do tempo presente, de pensar a sua ação nas continuidades e mudanças do trabalho pedagógico, de participar criticamente na construção de uma escola mais atenta às realidades dos diversos grupos sociais.

           

         O uso das TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação)  podem ser muito útil no processo de ensino, pois oferecem uma quantidade grande de informações e possibilidades. Surgem novas habilidades, valores e realidades que precisam ser compreendidos. O importante é como os professores e alunos irão aproveitar e manipular estas informações. Para Freire (1980, p.10) “Educador e educando, os dois seres criadores, libertam-se mutuamente para chegarem a serem, ambos criadores de novas realidades”.

Nesta perspectiva, o Blog apresenta-se como uma excelente forma de apoio ao ensino mediado por uso do computador, no momento em que se instiga os alunos a construírem seus saberes de acordo com seus reais interesses, necessidades e potencialidades, aprimorando suas habilidades de análise, síntese e pesquisa.

            O avanço tecnológico e científico introduz novas demandas sociais e educacionais, exigindo do professor um perfil que nem sempre ele possui decorrente, muitas vezes, da precariedade de sua formação profissional. Devido à contínua evolução tecnológica, aliada à globalização, novas tecnologias vêm surgindo no contexto escolar e o educador tem o dever de buscar o conhecimento sobre o seu uso como potenciais estratégias educacionais. De acordo com Valente (1999), é necessário fornecer a esse profissional a base teórica e prática desta nova metodologia que enfatiza o aprendizado e não o ensino.

          O professor, cada vez mais visto como um pesquisador deve observar os interesses do alunado e se atualizar a partir das novas demandas, buscando ferramentas e metodologias que possibilitem formar alunos mais críticos e capazes de competir no mercado de trabalho.

 

2.2. Projetos educacionais com o uso do Blog

 

Neste subcapítulo visa-se trazer alguns exemplos de projetos educacionais, desenvolvidos no contexto local, com o apoio da ferramenta Blog. Nesta seleção, buscou-se reunir um conjunto de projetos que abrange distintas áreas da educação. O objetivo deste levantamento é apresentar aos profissionais da educação iniciativas que vêm sendo realizadas com o uso desta ferramenta, bem como as múltiplas possibilidades de emprego do Blog no âmbito educacional.

Como exemplo de blog institucional, tem-se a proposta desenvolvida na E. M. E. F. Pinto Bandeira. “Notícias sobre a instituição”, com a divulgação de projetos e trabalhos didáticos da escola. Há páginas sobre a sala de recursos especializados e com o histórico da escola. O blog, administrado pela professora do projeto Múltiplas Tecnologias, foi desenvolvido como um recurso pedagógico para divulgar as experiências e os acontecimentos da comunidade escolar. A ausência de comentários no blog aponta para a falta de interação entre a comunidade escolar através deste espaço. Além disso, suas atualizações não são muito frequentes, visto que a última data de março de 2012.  

 

Figura 2 Página inicial do blog da E. M. E. F. Pinto Bandeira

Fonte: http://coronelfranciscopintobandeira.blogspot.com/ Acesso em: 05.05.2012

 

 

Há links para outros dois blogs administrados pela mesma professora: “Fala (e escreve) sério!” e “Diversidade”. O primeiro traz uma coletânea de exercícios pesquisados na internet, com o objetivo de desenvolver a produção textual (material para os educadores). De acordo com Gomes e Lopes (2007, p.122):

 

Outra exploração dos blogues enquanto recurso pedagógico, consiste na criação e dinamização pelo próprio professor ou grupo de professores de um blogue centrado na abordagem de conteúdos relacionados com a área que leciona. Frequentemente, este tipo de blog, procura disponibilizar informação que acompanha a sequência de assuntos tratados nas aulas e/ou identifique e referencie notícias e acontecimentos recentes que apresenta relações com temáticas curriculares.

 

Blogs como o “Fala (e escreve) sério!”, resultantes desta dinamização de que falam Gomes e Lopes, podem ser agregados às atividades educacionais de forma efetiva como recursos pedagógicos que disponibilizam materiais a serem explorados pelos estudantes não somente no ambiente escolar, transcendendo as limitações espaços-temporais impostas pelo sistema educacional. Salienta-se ainda que este blog apresente um diferencial no que diz respeito à quantidade e qualidade de listas de exercícios, dicas, curiosidades e jogos educativos.

Conforme já mencionado, a mesma professora também administra o blog “Diversidade” [4] destinado à apresentação de projetos, desenvolvidos pela escola sobre este tema transversal. De acordo com CHULTES (2012, on line):

 

A Escola Integral, PPA (Projeto Pedagógico Alternativo), Artes e Laboratório de informática trabalham o tema com enfoques diferenciados. A informática relacionando a cultura afro com o dia a dia: "Consciência Negra é todo dia”, com o objetivo inserir a questão da igualdade racial no cotidiano, debatendo o assunto em sala de aula, para naturalmente transformar o espaço da escola e construir uma identidade que inclua e respeite a cultura negra.

 

 

Figura 3 Página inicial do blog Fala (e escreve) sério!

Fonte: http://mariachultes.blogspot.com.br/ Acesso em 05.05.2012

 

 

Há páginas sobre a legislação e outras com sugestões de filmes e artigos correlacionados ao assunto diversidade. Não há uma atualização, na página inicial deste blog, com periodicidade. O número de visualizações deste blog é de 1820, entretanto, não se estabelecem interações entre membros da comunidade escolar.

No âmbito da Educação artística, tem-se o Blog “Artistas e Arteiros”, cujo objetivo principal é divulgar conteúdos relacionados a esta disciplina. Conforme as próprias administradoras (RAMBO e SCHIMITT, 2012, on line):

 

O blog “Artistas e Arteiros” é um espaço de Arte-Educação aberto a todos que acreditam na arte como meio de expressão não só de sentimentos, mas especialmente de ideias [...]. Divulgando-as e promovendo assim a troca de vivências.  

      

O próximo blog, pertencente à E. M. E. F. Arthur Pereira de Vargas, conta com uma grande participação da comunidade escolar, através dos comentários, apresentando-se como um espaço altamente interativo.  O seu endereço está disponibilizado no Portal do Professor, no link produção de professores.

A escolha de práticas educacionais que promovam a escolarização exitosa de todos os alunos, evita a exclusão e respeita as particularidades de cada criança. Como se pode observar nos resultados obtidos pela escola Arthur Pereira Vargas, tal escolha é uma forma motivadora e cativante da educação contemporânea. Nela é possível identificar inúmeras estratégias pedagógicas que visam aprimorar os educandos no exercício da cidadania: zelar pelo sucesso da aprendizagem; qualificar os jovens para o mercado do trabalho e respeitar as diferenças.

      

Figura 4 Página inicial do blog Artistas e Arteiros

Fonte: http://arteiros.arteblog.com.br/ Acessado: 14.08.2012.

 

Projeto coordenado pela pedagoga Daniele Santos, o blog por grupo de pesquisa conta com a participação de trinta alunos representantes dos quartos e quintos anos, com o objetivo de: “[...] estudar, vivenciar e multiplicar assuntos relacionados ao meio ambiente” (SANTOS, 2012, on line).

Figura 5 Página inicial do blog por grupo de pesquisa da E. M. E. F Governador Walter Peracchi Barcellos

Fonte: http://gaperacchi.blogspot.com.br- Acessado em: 05.05. 2012

 

 O projeto trabalha com grupo de pesquisa permanente, que tem durabilidade de um ano.  Os critérios para participação, de acordo com SANTOS (2012, on line), são:

[...] estar matriculado na E.M.E.F. Governador Walter Peracchi de Barcellos; frequentar o 4° ou o 5° ano; acompanhar as aulas (algumas vezes o (a)

aluno (a) precisará se ausentar de sua aula e isso não pode prejudicar suas tarefas na turma em que estuda); ter muito interesse em auxiliar nas atividades práticas (horta, leituras, palestras, encontros, divulgações...) e participar das atividades com alegria e ter respeito por tudo o que o cerca (pessoas, natureza, sociedade e etc.).

 

O blog, que tem um total de 1354 visualizações[5], é atualizado periodicamente pela professora.

 

Figura 6 Blog da E. M. E. F Governador Walter Peracchi Barcellos

Fonte: http://blogdoperacchi.blogspot.com.br/ Acesso: 20.08.2012

                   

O blog institucional, ilustrado na figura 6 tem o maior número de acessos em relação às produções das demais escolas da rede municipal que fazem uso da tecnologia blog em suas escolas. O número de acessos é superior a 400.000[6], apesar de ser restritamente um blog para divulgação de eventos e calendário da escola. O mesmo é organizado em páginas nas quais são apresentados projetos como o “Mais Educação”, a Sala de Recursos e Atividades no laboratório de informática. Na página inicial, a última postagem data é do dia 2 de dezembro de 2011.

Não há uma interação através dos comentários, visto que os artigos observados não possuem comentários. O recurso mais utilizado, na maioria dos posts, é a fotografia. Ainda, com o objetivo de trabalhar as disciplinas que leciona: história e geografia, contando com a participação dos alunos na construção da aprendizagem o professor Ricardo Mendel criou o Blog na E.M.E.F. Guajuviras.

            De acordo com o coordenador do projeto este é

 

[...] um espaço livre e colaborativo de discussão, troca de informações, relatos de experiências e vivências sobre o bairro Guajuviras, buscando uma aproximação e análise das identidades do local.

 

Figura 7 Blog Registro do bairro Guajuviras

Fonte: http://historiaguajuviras.blogspot.com.br/ Acesso em 03.05.2012

 

 

 

Os conteúdos são desenvolvidos por meio de pesquisa de campo e documentários realizados pelos alunos através de vídeos. Desta forma eles podem aprimorar seus conhecimentos, assim como, utilizam o computador na escola de maneira eficaz.

 

2.2.1 Projetos com o blog na E. M. E. F. Rio de Janeiro

 

A fim de enriquecer as práticas pedagógicas com a utilização do laboratório de informática, um grupo de professores da Escola Municipal de Ensino Fundamental Rio de Janeiro, do município de Canoas, decidiu explorar diferentes possibilidades do uso das tecnologias no contexto educacional, dentre elas, o blog.

            Para compreender de que modo esta mídia social proporciona a aprendizagem em rede, pode-se destacar a experiência interdisciplinar desenvolvida nesta escola. São três propostas de exploração da ferramenta: a primeira, como recurso pedagógico na divulgação de links educativos para uso do professor e dos alunos, além da divulgação de projetos e de blogs dos professores e alunos, e de atividades realizadas pela instituição educacional; a segunda proposta seria o seu uso como estratégia pedagógica através de equipes de estudo de uma determinada disciplina; e a terceira proposta, o grupo de pesquisa permanente, que se caracteriza por ter seus participantes integrados ao projeto durante um período determinado onde, mesmo finalizado a participação no grupo, os alunos têm a oportunidade de continuar atuando como colaboradores. Todas as propostas estão interligadas com o blog central da instituição, através de hiperlinks.

 

2.2.1.1 Blog institucional

 

No ano de 2011, o projeto "Blog Educativo: Interação, Construção, Colaboração e Aprendizagem” [7] teve como meta estabelecer uma ligação entre os alunos e a rede virtual, tornando-se o principal agente de construção do conhecimento por meio das possibilidades didáticas com o uso de diferentes mídias, desenvolvendo, nos alunos, suas capacidades de comunicação e trabalho em equipe, habilidades estas importantes na formação de um cidadão crítico e participativo. Conforme Moran (2007) os meios de comunicação enfatizam o desenvolvimento de uma de uma nova postura dos indivíduos, possibilitando-os interagir com diferentes conhecimentos, podendo ser expressas ideias que em conjunto dão origem a novas interpretações.

O projeto, desenvolvido no Blogspot foi organizado em etapas: blog educativo e suas interfaces como recurso e ferramenta pedagógica. O ponto de partida do projeto foi a criação do blog central em nome da instituição de ensino. O mesmo é de responsabilidade administrativa dos professores do projeto de Múltiplas Tecnologias e das equipes de alunos blogueiros das oitavas séries do ensino fundamental.

            O blog central é um ponto de referência em que os alunos da equipe de blogueiros, responsáveis das oitavas séries, atualizam periodicamente as notícias, as reportagens referentes à escola e à comunidade local. 

Com o objetivo de resgatar o histórico da escola, por meio de pesquisas e entrevistas realizadas pelos blogueiros, foi criada uma página dentro do blog institucional, onde os alunos postaram e organizaram o material da pesquisa. A equipe entrevistou uma professora que lecionou  nesta escola na década de 1960 e, após pesquisas complementares, o post com o primeiro texto ilustrado com imagens foi editado, contando a história da instituição escolar.

Nas páginas destinadas às disciplinas foram adicionados links de endereços da Web que direcionam para a URL de sites correlacionados à disciplina e que podem servir de apoio didático tanto para o corpo discente como docente.

 

           
   
 
 
   
 

 


Figura 8 - Página do Blog Central da E. M. E. F. Rio de Janeiro.

Fonte: Autoria própria, 2012.

 

O projeto "Blog Educativo: Interação, Construção, Colaboração e Aprendizagem”, em sua abordagem institucional, se fundamenta fortemente nas ideias de Paulo Freire, quando este defende a necessidade de se construir um conhecimento autêntico e orgânico, ou seja, que esteja inserido na realidade do aluno e que desperte nele a vontade de transformar esta realidade. Freire defendia a tese de uma educação que desenvolvesse a consciência crítica, que promovesse a mudança social. O fato dos alunos envolvidos no projeto terem a responsabilidade sobre alimentação deste blog foca na sua autonomia e participação ativa, sendo estes dois elementos imprescindíveis para despertar a sua criticidade em relação ao contexto histórico no qual estão inseridos. De acordo com Freire “[...] implicando que os homens assumam o papel de sujeitos históricos que fazem e refazem o mundo” (FREIRE, 1980, p.15) sendo assim entende-se que educar é promover a capacidade de interpretar o mundo e agir para transformá-lo.

Ainda com este intuito será apresentada uma estratégia de exploração pedagógica da tecnologia blog onde os alunos participam ativamente na construção de seus conhecimentos e, ao mesmo tempo, desenvolvem capacidades de colaboração e cooperação no trabalho em equipe.

 

2.2.2.2 Blog por equipes de estudos

 

           Uma proposta de equipes de estudos sobre diversos conteúdos curriculares, de acordo com a disciplina e objetivos pedagógicos, foi lançada por uma professora da área de Língua Portuguesa, juntamente com uma professora de Educação Artística e uma professora de Ciências, sob a coordenação do professor responsável pelo projeto Múltiplas Tecnologias. Cada equipe de alunos criou uma conta no Google [8] para montar o blog de sua equipe, independente do resto da turma (no primeiro momento). As equipes possuem seus endereços disponibilizados também no Blog institucional.

Além de administrarem seus blogs, os alunos interagem no trabalho de outras equipes consultando, dando sugestões e participando das atividades apresentadas. Na sala de aula, o professor, de acordo com o conteúdo explorado pelas equipes, desenvolve atividades práticas complementares. Nesta proposta de trabalho, os alunos foram além das edições de imagens e artigos, realizando também releituras, criando planos de fundo para os layouts, editando vídeos, e assim por diante. Além disso, mantiveram a responsabilidade no uso da internet, respeitando as regras da etiqueta, bem como citando fontes e pesquisando material para manter a página na web atualizada.

           No uso do blog como estratégia pedagógica, o papel do professor como agente mediador fica bem claro, pois quando o mesmo propõe desafios proporciona que nas atividades em equipe, aqueles alunos que possuem mais conhecimento possam cooperar com os demais na construção dos conteúdos, oportunizando o avanço na sua Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP[9]) (VYGOTSKY, 2007). O aluno consegue produzir de forma independente; mas também faz conexões com o mediador e com os colegas presenciais ou on line, pois a aprendizagem é o resultado de uma atividade individual e interpessoal. Como diz Moran (2000, p.17):

As mudanças na educação dependem também dos alunos. Alunos curiosos e motivados facilitam enormemente o processo, estimulam as melhores qualidades do professor, tornam-se interlocutores lúcidos e parceiros de caminhada do professor-educador.

 

           Nesse sentido, o projeto Blog educativo e suas interfaces como recurso e estratégia pedagógica permite conexões no contexto local e na rede virtual, através de diversas ações, servindo de recurso pedagógico ao educando e ao educador simultaneamente.

Com o apoio do uso da ferramenta blog o professor pode refletir sobre o aprendizado do aluno, como algo construtivo que auxilie na construção do conhecimento, através da interação e da colaboração, pois todos estão interligados. Como resultado da utilização desta prática inovadora formou-se quarenta e cinco blogs, cada um com um formato, padrão de design, conteúdo e nível de interatividade diferenciado.

 Assim como diz SILVA (2006, p.33):

 

Podemos criar ambiências para avaliação formativa, nas quais os saberes sejam construídos num processo de negociações e a tomada de decisões seja uma prática constante para a ressignificação processual das autorias e coautorias.

 

           Em outra etapa desta proposta de avaliação, cada equipe recebeu a tarefa de avaliar três blogs da lista de hiperlinks da página do blog central, proporcionando o feedback e interagindo com o trabalho dos colegas, mostrando que ensinar com novas mídias pode ser uma revolução quando se extrapola os paradigmas convencionais do ensino que distanciam professores e alunos.

 

2.2.3 Blog por grupo de pesquisa

 

           Outra possibilidade explorada pelo projeto foi o blog por grupo de pesquisa permanente. Trata-se de um grupo de 35 alunos representantes dos quintos anos até a oitava série, que trabalham de forma colaborativa sobre o tema meio ambiente. A diferença desta proposta é a de que foi criado um blog no qual os alunos não são administradores e sim colaboradores com o objetivo de envolver o grupo dentro de ações em que serão agentes pesquisadores.

           Tais ações-oficinas exploraram o Google Earth [10]   no Google Maps [11] , palestras, participação em feiras, divulgações, diagnósticos sobre a realidade da comunidade, produção e edição de filmes informativos incentivando a interação e o compartilhamento de conhecimentos. Através dos comentários, o professor mediador realiza suas observações e avaliações. Conforme Moran (2000, p. 23):

 

Um dos grandes desafios para o educador é ajudar a tornar a informação significativa, a escolher as informações verdadeiramente importantes entre tantas possibilidades, a compreendê-las de forma cada vez mais abrangente e profunda e a torná-las parte de nosso referencial.

 

           O grupo de pesquisa enriquece a página com links, imagens, e trabalha com as multimídias. Todas estas possibilidades são facilitadoras do aprofundamento do tema em estudo. O objetivo desta interface foi de fomentar a produção e a pesquisa sobre um tema amplo favorecendo a colaboração entre aluno/aluno e aluno/professor.

 

Figura 9 - Página inicial do Blog de pesquisa Ambiental

Fonte: http://educacaoambientalrj.blogspot.com.br/ Acesso em 20.12.2011

 

 

       No decorrer do planejamento foram realizadas assembleias, buscando assimilar os conceitos necessários para o desenvolvimento das pesquisas. Internalizando regras de como evitar copiar e colar trechos de textos, buscando a originalidade, a criatividade na escrita, bem como a indicação das fontes e levantamento das capacidades de percepção ambiental.

     O Blog, que serviu como ferramenta de execução dessas atividades, foi desenvolvido através do sistema Blogger de criação e edição de endereços virtuais. O grupo de alunos foi previamente dividido em equipes de três integrantes, onde cada equipe recebeu uma conta de autor para ser usada livremente, tanto durante os encontros específicos para a execução das atividades, quanto para utilizar em suas residências, quando achassem oportuno.

    Os alunos criaram artigos acompanhados por imagens fotográficas descrevendo problemas ambientais existentes na área do entorno da escola e no trajeto entre a instituição e suas residências.         

     O fluxograma disponível na figura 10 abaixo sintetiza o papel a ser cumprido pelos alunos ao longo do projeto.

 
 

 

 

Figura 10: Fluxograma do perfil esperado para os participantes.

Fonte: Autoria própria, 2012.

 

         

    Os alunos passaram por três etapas ligadas à educação ambiental: conhecimento didático, sendo apresentados diversos conceitos de grande relevância; a percepção ambiental, o que possibilitou a eles analisarem o ambiente escolar e familiar por outro prisma; e, por fim, a capacidade pessoal de cada aluno em utilizar o conhecimento para discutir e criar novos conteúdos para que, assim, pudessem apropriar-se desse conhecimento. 

       A seguir, na figura 11, veremos o recorte de um dos blogs construídos com o objetivo de ampliar as competências linguísticas dos alunos, assim como, de aprimorar a consciência crítica e o senso de responsabilidade social, pois além de selecionar uma imagem, estes deveriam justificar a sua escolha construindo um texto e postando no blog de pesquisa ambiental.

 

                         

Figura 11 - Post com textos colaborativos

Fonte: http://educacaoambientalrj.blogspot.com.br/ Acesso em 20.12.2011

 

 

         Na execução das três propostas do projeto a ferramenta Google Maps foi amplamente utilizada, visto que oferece a função street view, possibilitando fazer capturas de imagens das localidades de interesse do ponto de vista de um pedestre, sem a necessidade de deslocamento. Além disso, recursos como a adição de imagens, com o upload de arquivos, ou dos álbuns Picasa, ou de URLs também foram intensamente explorados ao longo do projeto. Os alunos também adicionaram vídeos do youtube [12] ou produziram vídeos educativos, editando-os através do Windows Movie Maker [13].

       Na escola, os blogs podem servir para diversos projetos, podem ser o portal da escola sua forma de se abrir e se mostrar para o mundo. Podem ser o espaço de divulgação de ações ou projetos específicos, ou portfólio de professores e alunos. Enfim, o blog pode ser amplamente explorado como recurso ou estratégia pedagógica.

        Conheceremos no próximo capítulo um pouco da história das Tecnologias de Informação e Comunicação no contexto escolar da rede de ensino do nosso município.

 

 

3.  A INFORMÁTICA EDUCACIONAL NA REDE MUNICIPAL DE CANOAS

 

            A Informática Educacional na rede municipal de Canoas, com o apoio do Ministério da Educação (MEC), implantou dois programas que visam à utilização das TICs por alunos do 1º ao 9º ano.  São eles: Projeto Semear[14] e o Proinfo[15]. Em 1993 o município de Canoas possuía cinco laboratórios de informática, que atendiam em torno de cinco mil e duzentos alunos das escolas da rede (http://lief.wikispaces.com/).

O Projeto Semear do Instituto da Tecnologia Aplicada à Informação (ITEAI) foi implantado na rede de ensino municipal visando à aplicação pedagógica das tecnologias digitais no ensino, o mesmo foi elaborado em abril de 2001.

No dia 07 de novembro de 2001 foi apresentada a proposta formal para implantação deste Projeto. A tramitação da documentação estendeu-se até 08 de maio de 2002. O primeiro laboratório inaugurado dentro desta proposta foi o da Escola Municipal de Ensino Fundamental Arthur Pereira de Vargas, com dezesseis computadores.

Com o projeto, as crianças e adolescentes, receberam o acesso a softwares educacionais, complementando o ensino em sala de aula. O Semear garantiu acesso à tecnologia a mais de 22 mil alunos. Foram 32 escolas equipadas.

          No ano de 2006, foram mais de 27.000 alunos do ensino fundamental utilizando os laboratórios de informática (CANOAS, 2006).

Em 2009, a E. M. E. F. Odete Freitas foi escolhida como escola piloto para receber o projeto Proinfo com acesso a Banda Larga e outros equipamentos.

O Proinfo engloba uma série de ações do Ministério da Educação (MEC) e um conjunto de ações resultantes do Programa Estadual de Informática na Educação nos 27 estados brasileiros. O objetivo do programa, como já foi dito, é disseminar o uso pedagógico das TICs nas escolas públicas brasileiras de ensino fundamental e médio.

           Atualmente cada uma das 42 escolas atendidas possui um laboratório com os 17 terminais do Proinfo, sendo que oito receberam ampliação, ou seja, mais 17 terminais, conforme entrevista com o Secretário de Educação do município o Sr. Paulo Ritter (Diário de Canoas, 2010). Algumas escolas possuem também computadores do Projovem [16], pertencentes ao programa de inclusão digital do MEC para os alunos da EJA (Educação de Jovens e Adultos). Com todo este material disponível nas escolas é o momento de buscar novas alternativas para minimizar o distanciamento, o desinteresse dos alunos e, em consequência disto, a reprovação e a evasão que apresentam altos índices entre os jovens, conforme mostra o IDEB do município de Canoas: 4,1 (2007) e 4,4 (2009) nas turmas de 4º ano/5ª série se mantendo 3,5 neste mesmo período nas turmas de 9º ano / 8ª série. 

As formações oferecidas pelo NTE (Núcleo de Tecnologia Educacional) aos professores da rede municipal durante o ano de 2012 até o momento foram o curso semipresencial de Introdução à Educação Digital[17] (Introdução ao Linux Educacional), que aconteceu no em 11 de abril e a oficina Softwares[18] para trabalhar com alunos de inclusão realizada no mês de Junho. No ano de 2011 foi oferecida a oficina de software autoria: EDILIM[19]; o curso TICs- Blogs e Wikis na Educação[20]: Construção e Produção de Textos colaborativos nos dias 15 e 22 de Junho. Todas ocorreram no laboratório da Secretaria Municipal de Educação, sob a coordenação e administração da coordenadora pedagógica do Núcleo de Tecnologia Educacional.

O Programa Nacional de Formação Continuada em Tecnologia Educacional (ProInfo Integrado) também oferece cursos no âmbito do uso das tecnologias no contexto educacional são eles: Introdução à Educação Digital (40h),Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TICs (100h), Elaboração de Projetos (40h), curso Especialização de Tecnologias em Educação (400h).

            O investimento em programas de formação e capacitação de professores é uma das metas da Secretaria de Educação do município de Canoas. Com isto, percebe-se nas escolas da rede que o uso das tecnologias digitais na sala de aula se torna presente na maioria das escolas, que já incluem a blogosfera como uma estratégia indispensável à plena formação de seus alunos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4. METODOLOGIA

 

A presente pesquisa consiste em um estudo de caso realizado com a finalidade de investigar como vem ocorrendo o uso dos blogs educacionais no contexto escolar do município de Canoas.

Esta estratégia foi utilizada com o objetivo conhecer “se?” e “como?” os blogs vêm sendo explorados no âmbito educacional deste município. Ponte (2006) considera que o estudo de caso:

 

É uma investigação que se assume como particularística, isto é, que se debruça deliberadamente sobre uma situação específica que se supõe ser única ou especial, pelo menos em certos aspectos, procurando descobrir o que há nela de mais essencial e característico e, desse modo, contribuir para a compreensão global de um certo fenómeno de interesse (PONTE,2006 p.2).

 

Na coleta de dados, foram utilizados os seguintes instrumentos:

          Para quantificar o uso de Blogs nas escolas da rede municipal de ensino que possuem o projeto Múltiplas Tecnologias, utilizou-se o questionário fechado, a partir do qual se visou diagnosticar o número de professores que vem aplicando a tecnologia blog em suas práticas pedagógicas.

           A pesquisa documental, a partir dos materiais postados pelos professores nos blogs das suas escolas, serviu para a verificação de “como” estes vêm fazendo uso desta tecnologia. Foram realizadas observação e análise de blogs construídos por escolas da rede municipal de Canoas, com base em critérios emergentes do referencial teórico, destacados pelos principais autores abordados como elementos de suma relevância para o estímulo ao envolvimento do aluno em situações de ensino e aprendizagem. Tais critérios são apresentados logo adiante, na seção 4.1.

           Os endereços na web dos blogs educativos criados e administrados pelas escolas da rede municipal de Canoas foram disponibilizados pelos professores por email ou nos cursos de capacitação da Secretaria Municipal de Educação. Alguns blogs educacionais mencionados nesta monografia foram pesquisados no Portal do Professor[21] e no site de busca Google Search[22].

         Outro instrumento utilizado, que foi analisado de acordo com as ideias de Bardin (2002), foi o questionário aberto, com a coordenadora pedagógica do núcleo de tecnologia da Secretaria Municipal de Canoas, com o objetivo de analisar que uso os professores das múltiplas tecnologias fazem do blog no contexto escolar.

 

4.1. Critérios utilizados para a avaliação dos blogs

 

A partir do referencial teórico, foram elencados três critérios a norteadores para a observação e análise  dos blogs educacionais constantes neste estudo de caso:

 

·         Contextualização: O conteúdo do blog volta-se a realidade do aluno? A aprendizagem é concebida como um processo onde os alunos são encarados como participantes, e seus conhecimentos, interesses e expectativas são levados em conta? De acordo com a visão de Freire (1975, p.31) “Quanto mais o professor possibilitar aos estudantes perceberem-se como seres inseridos no mundo, tanto mais se sentirão desafiados a responder aos novos desafios”.

 

·         Colaboração: O blog promove a colaboração, com mecanismos de feedback? No âmbito da aprendizagem buscou-se identificar se a mesma é promovida de modo colaborativo, pois segundo Vygotsky, a aprendizagem emerge do contexto cultural, no qual os indivíduos interagem, trocando experiências. Esta troca é promovida em atividades colaborativas, onde conhecimentos são compartilhados, formando uma base de saber muito mais elevada do que quando a construção de conhecimento é tomada como um processo individual.

 

·         Cognitivo: Os temas abordados pelo blog proporcionam a construção de conhecimento? No sentido de criar condições para a construção dos conhecimentos, por meio desta ferramenta, desenvolvendo habilidades e capacidades para o desenvolvimento da autonomia, do aprender a aprender, da criatividade e do trabalho em equipe. De acordo com Lévy (1999 b), está passando despercebida a grandeza dessa nova realidade, e isso faz desconhecer totalmente os benefícios que a tecnologia pode vir a nos oferecer, principalmente no campo do conhecimento. A Internet, por exemplo, é utilizada pela maior parte das pessoas somente como um instrumento de transmissão e não como uma metodologia de construção de conhecimentos.

 

4.2. Participantes da pesquisa

 

            Dos questionários distribuídos para o grupo pesquisado do projeto múltiplas tecnologias, tivemos retorno da maior parte dos professores com uma                                                   amostra de 56 docentes, o que corresponde a 82% do grupo total de 68 professores atuantes no projeto no ano letivo de 2012, conforme dados fornecidos pela Secretaria Municipal de Educação. A maioria dos participantes da pesquisa possui nível de escolaridade em pós-graduação e 54 pertencem ao sexo feminino.

 

 

5. RESULTADOS

        

          Os resultados explorados neste estudo estão distribuídos em três seções que abrangem os dados obtidos nos questionários fechados, nas análises dos blogs produzidos ou/e mediados pelos professores e no questionário aberto, realizado com a coordenadora do Núcleo de Tecnologia Educacional do município.

         No encerramento deste capítulo será feito um fechamento das análises realizadas ao longo dos tópicos subsequentes.

 

5.1  Resultado e análise dos questionários fechados         

 

Os dados obtidos a partir das pesquisas quantitativas estão dispostos em forma de gráficos, sendo relacionados a discussões teóricas realizadas com base nas pesquisas científicas que fundamentam esta monografia. Os gráficos, apresentados a seguir, são referentes às respostas obtidas dos professores responsáveis pelo projeto Múltiplas tecnologias nas escolas da rede municipal de ensino fundamental de Canoas.

Nas questões propostas, buscou-se identificar se os professores fazem uso do blog em sua prática profissional e seus conhecimentos sobre o uso das tecnologias no contexto educacional, de um modo geral.

O questionário teve início com a pergunta: “Qual a sua formação acadêmica?”. As respostas foram tabuladas no gráfico da figura abaixo:

Figura 12: Formação do professor

Fonte: Próprio autor, 2012.

 

 

De início, pode-se destacar uma questão relevante que é a qualidade da formação acadêmica dos professores atuantes no projeto Múltiplas Tecnologias, pois o conhecimento teórico poderá servir como base para a ação deste docente. Com base nos dados do gráfico da figura 12, constata-se que dos 56 professores (100%) entrevistados, apenas 21% possuem a formação em nível de Ensino Médio. Vê-se que 36% possuem graduação superior; 41% possuem especialização e 2% têm mestrado em cursos relacionados à sua área de docência.

 

Figura 13: Impedimento para o uso das TICs nas escolas

Fonte: Próprio autor, 2012.

 

 

            O gráfico da figura 13 expõe que nas escolas da rede municipal, das 60 alternativas marcadas (aqui o professor poderia escolher mais de uma questão), 46% dos educadores não possuem impedimento para o uso das tecnologias digitais; 22% relatam que há inúmeros fatores que dificultam o uso destas tecnologias no cotidiano escolar: indisciplina, perda de tempo e falta de professores capacitados são as queixas mais comuns. A falta de domínio deste recurso foi citada por 7% professores, assim como, 25% afirmam que não usam, ou que usam raras vezes, porque não há computadores condizentes ao número de alunos, não promovendo assim a inclusão digital.

 É preciso que sejam supridos os impedimentos para o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas da rede, pois de acordo com os limiares teóricos citados ao longo desta pesquisa sabe-se da importância da aprendizagem colaborativa com o uso, também da tecnologia. E como se podem criar tais possibilidades se, conforme o gráfico da figura 13, 54% dos professores responsáveis pelo projeto Múltiplas Tecnologias encontra impedimento para uso das TICs?  De acordo com Sancho e Hernández (2006), a aprendizagem se baseia na troca e na cooperação, sendo necessário propor ao corpo docente e discente da escola a possibilidade de criar um espaço cooperativo, sem obstáculos para o uso do equipamento.

 

Figura 14: Já construiu um blog educacional para uso pedagógico em sua escola?

Fonte: Próprio autor, 2012.

 

Os dados apresentados no gráfico da figura 14 evidenciam que 32% dos 56 professores entrevistados afirmou fazer uso da tecnologia blog como estratégia pedagógica, comprovando que este recurso ainda não foi totalmente difundido nas práticas pedagógicas, mesmo sendo comum o seu uso como meio de comunicação.

           

Figura 15: Utiliza e conhece as vantagens dos blogs educativos no processo da construção da aprendizagem?

Fonte: Próprio autor, 2012.

 

 

          Apesar de 64% dos professores, reconhecerem as vantagens dos blogs no processo da construção da aprendizagem, grande parte ainda não faz uso desta ferramenta. Segundo Silva (2006, p.34).

 

Estamos acostumados ao baixo nível de participação oral dos alunos, à ênfase em actividades solitárias, à aprendizagem mecânica do conhecimento factual com principal objetivo do ensino, enfim, à distribuição em massa das informações que chamamos de conhecimento [...]. Precisamos nos desvencilhar disso.

 

             O dia-a-dia nas escolas continua priorizando atividades repetitivas e pouco motivadoras, não atendendo aos interesses do seu público-alvo.

 

Figura 16: Há relação entre Blogs educativos e a Proposta Político Pedagógica da sua escola?

Fonte: Próprio autor, 2012.

 

As propostas pedagógicas que utilizam o blog como forma de ampliar as possibilidades de construção de conhecimentos, bem como de promover a inclusão social, utilizando os multiletramentos possíveis, não constam nos Projetos Políticos Pedagógicos de algumas instituições de ensino, pois 12 professores afirmam não haver relação entre os blogs educativos e o PPP de suas escolas.

Somente 21 professores estão cientes sobre a inclusão do uso das TICs no seu PPP (Projeto Político Pedagógico) e 23 professores (gráfico da figura 16) desconhecem se há relação entre blogs e o PPP, levando a refletir que além da qualificação do professor, é necessário que haja mudanças por parte dos gestores: orientação, supervisão e direção. Estes profissionais são imprescindíveis para que algumas atividades não se percam no decorrer do ano letivo, assim como, para promover a integração entre todos os segmentos da escola.

 

                         

Figura 17: Os alunos são administradores de Blogs Educacionais na sua instituição?

Fonte: Próprio autor, 2012.

 

A tabulação acima está coerente com o quadro de observação dos blogs (apresentado na seção seguinte), pois ambos evidenciam não haver uma participação ativa dos alunos nos blogs das instituições, de um modo geral. De acordo com Veen (2009, p.12) o “[...] homo Zappiens é digital e a escola analógica”. O uso do computador com finalidades educacionais tem sido discutido por vários autores. Este trabalho, além de reforçar as vantagens do seu uso e apresentar as dificuldades encontradas no contexto escolar pelos professores da rede municipal de Canoas, também volta seu olhar para o público-alvo (os alunos). Conforme dados fornecidos pelas instituições investigadas (representadas por 56 professores), apenas 7% dos alunos possuem seu próprio blog (gráfico da figura17) o que demonstra que não há uma participação ativa destes jovens nos blogs educacionais.

É um número baixo se associarmos à quantidade de jovens que frequenta os ciberespaços, segundo um estudo[23] apresentado pela  Universidade de Navarra da Espanha, mais de 95% dos jovens da América Latina, acessam com freqüência a Internet e 83% possuem telefone celular.

A ferramenta blog, também, pode ser acessada por meio de outros usuários. Eis uma janela para instigar o aluno: desafiá-lo a construir e administrar seu próprio blog, direcionando alguns itens e sugerindo outros. De acordo com Freire (1983, p.44) “Não há, realmente, pensamento isolado, na medida em que não há homem isolado”. Afinal, o blog pode ser considerado um material didático de interação, construção, colaboração e aprendizagem.

 

Figura 18: Há Blogosferas que possuem um conjunto de práticas educativas com uma grande diversidade de abordagens. Você é participante de alguma?

Fonte: Próprio autor, 2012.

 

 

Ao analisar o gráfico da figura 18 percebe-se que a tabulação apresentada demonstra que a blogosfera educacional, apesar da diversidade de abordagens que possui, não foi capaz de atrair um grande número de participantes, no âmbito da docência municipal de Canoas. Dentre os entrevistados, 64% destes afirmam não participar de nenhuma blogosfera educacional, destes 23% desconhecem a existência das comunidades educacionais na rede e, finalmente, apenas 13% relataram que conhecem e participam de tais ciberespaços. Vemos aqui mais um desafio aos estudiosos e pesquisadores da educação: tornar o uso dos avanços recentes das tecnologias da informação e da comunicação, em uma prática constante e exitosa, buscando desenvolver projetos educacionais bem sucedidos. Pois conforme Moran (2000, p.36).

 

[...] a educação escolar precisa compreender e incorporar mais as novas linguagens, desvendar os seus códigos, dominar as possibilidades de expressão e as possíveis manipulações. E é importante educar para usos democráticos, mais progressistas e participativos das tecnologias, que facilitam a evolução dos indivíduos.

           

            O uso de softwares e diferentes mídias têm potencial para incentivar o desenvolvimento do pensamento reflexivo e crítico. Além disso, de acordo com Vygotsky (2007, p.117-118):

 

[...] o aprendizado desperta vários processos internos de desenvolvimento, que são capazes de operar somente quando a criança interage com pessoas em seu ambiente e quando em cooperação com seus companheiros.

 

                As habilidades colaborativas em diferentes áreas de conhecimento podem ser trabalhadas com o uso da tecnologia blog e proporcionar momentos de aprendizagem significativa.

 

Figura 19: Marque as possíveis utilizações da tecnologia blog, enquanto recurso ou estratégia pedagógica.

Fonte: Próprio autor, 2012.

 

 

Os weblogs podem ser utilizados de inúmeras maneiras na sala de aula. Os educadores, participantes da pesquisa, citaram as formas que seguem: espaço de acesso à informação especializada (27 indicações); espaço de disponibilização de informação por parte do professor (37 indicações); espaço de interação com a participação administrativa do aluno (36 indicações); diário digital (25 indicações) ou mesmo espaço de intercâmbio e colaboração (38 indicações). Dentre as 170 indicações, apenas sete pessoas afirmaram desconhecer os possíveis usos do blog como estratégia pedagógica, o que demonstra que este recurso é pouco utilizado, mas as suas vantagens estão difundidas nos ambientes escolares. Necessita-se apenas de uma reflexão por parte dos educadores sobre como lidar com as mudanças advindas do universo digital, incluindo-as no seu fazer pedagógico. Conforme PRIMO (2006, p.9):

 

[...] os blogs adaptados ao contexto educacional, podem contribuir para interação entre educadores e educandos, e para a própria tomada de consciência do educando sobre o percurso próprio na construção do conhecimento.

 

Com o objetivo de analisar o uso pedagógico da ferramenta blog na rede municipal de Canoas, foi realizada a pesquisa documental com os blogs disponibilizados pelas escolas, como se pode observar no quadro 01:

 

5.2  Análise dos blogs

 

Quadro 01– Observação dos blogs educativos publicados por escolas da rede municipal de Canoas.

Nome da Escola e link/acesso

Administrador (es) e/ou autor (es)

Principal característica:

 

 

E. M. E. F. Arthur Pereira de Vargas

 

http://arteiros.arteblog.com.br/

Acesso em 20/08/2012

Número de visitas: 41.390

 

 

Professoras

 

O espaço tem como principal característica registrar projetos, tais como o: “Você usa máscara? Quando?” e o “Sentindo na pele”. Há também post que falam sobre atividades, tais como as trabalhadas no projeto “ Entre Olhares” e conteúdos desenvolvidos pela escola na área de educação artística.  A página não é atualizada com frequência e não foi identificada a participação dos alunos na autoria das postagens ou nos comentários.

 

 

E. M. E. F. Carlos Drummond de Andrade

 

http://emefcarlosdrummonddeandrade.blogspot.com.br

Acesso em 21/08/2012

 

Professora

 

Este espaço foi criado como veículo de comunicação, no sentido de divulgação do calendário de eventos e outras informações sobre a escola, destinadas aos alunos e demais pessoas interessadas pelas atividades da instituição.

Não é um portfólio de produções dos alunos ou professores; não há compartilhamento, nem colaborações ou interação dos alunos com o projeto do uso da ferramenta blog.

 

E. M. E. F. Castelo Branco

 

http://escolacastelinho.blogspot.com.br

Acesso em 20/08/2012

Professor

 

Blog institucional, criado para divulgar as atividades pedagógicas, projetos e eventos desenvolvidos pela escola. Não há a participação dos alunos.

O mesmo não abrange o interesse dos alunos, no sentido de promover, de alguma forma, a construção de conhecimento.

 

 

E. M. E. F. Especial Para Surdos Vitória

 

http://vitoriasurdos.blog.terra.com.br/ Acesso em 04/06/2012

 

 

Professor

 

Blog institucional para divulgação de eventos e atividades desenvolvidas com os alunos. Não há participação dos alunos nas postagens, nem através dos comentários.

Não se volta ao interesse dos alunos, no sentido de promover, de alguma forma, a construção de conhecimento.

 

 

E. M. E. F. Gonçalves Dias

 

www.emefgd.blogspot.com

Acesso em 04/06/2012

 

Professor

 

 

 

Blog institucional para divulgação de eventos da escola, horário de funcionamento... Há hiperlink para o blog Olimpíadas, mas não se percebe a participação de outros colaboradores da comunidade escolar.

O conteúdo apresentado não tem por objetivo desenvolver ou mediar o conhecimento ou a interação entre alunos.

 

 

E. M. E. F. Governador Walter Peracchi Barcellos.

 

http://blogdoperacchi.blogspot.com

Acesso em 28/09/2012

Número de visitas: 450.120

 

 

Professor

 

O número de acessos é de 450.120, o que surpreende, visto que é um blog exclusivamente institucional para divulgação de eventos e projetos da escola.

Não há participação dos alunos nos comentários ou na autoria de postagens.

O conteúdo não está contextualizado as necessidades do aluno, no sentido de promover, de alguma forma, a construção de conhecimento.

 

 

E. M. E. F. Governador Walter Peracchi Barcellos

 

http://gaperacchi.blogspot.com

Acesso em 20/08/2012

 

 

 

Professora

 

Blog por grupo de pesquisa com a participação de 30 alunos representantes dos quartos e quintos anos, com o objetivo “de estudar, vivenciar e multiplicar assuntos relacionados ao meio ambiente”.

A participação dos alunos não acontece através dos comentários, mas sim com os posts que são editados em nome do grupo de pesquisa. Os alunos além de divulgarem suas ações interagem com a comunidade escolar através de palestras e atividades na sala de aula. O blog tornou-se um “diário” de atividades, mas não uma ferramenta de interação, uma vez que não se percebe a atividade de pesquisa ou a participação compartilhada de outros grupos. 

O conteúdo do blog se volta a realidade do aluno, mas a ferramenta não esta promovendo a colaboração, com mecanismos de feedback.

 

 

E. M. E. F. Guajuviras

 

http://emefguajuviras.blogspot.com.br Acesso em 20/08/2012

 

 

Professora

 

O blog criado para divulgar atividades e projetos da escola. A manutenção fica a encargo da administradora a professora Gabriela da sala de Recursos Multifuncionais.

Não é um espaço que explora o software social de forma interativa.

 

 

E. M. E. F. Guajuviras

 

http://historiaguajuviras.blogspot.com.br

Acesso em 21/08/2012

Número de acessos: 1474

 

 

 

Professor e alunos

 

 

Blog criado por um professor de Geografia em parceria com um grupo de alunos, que atuam na produção de vídeos, reportagens e matérias para os posts. Trata-se de um espaço colaborativo, para troca de informações, relatos de experiências e vivências sobre o bairro onde esta inserida a escola.

A ferramenta pedagógica esta promovendo a colaboração na construção do conhecimento, com mecanismos de feedback.

 

 

E. M. E. F. Irmão Pedro

 

http://maiseducacaoirmaopedro.blogspot.com.br/

Acesso em 04/06/2012

Professor

 

Blog criado para divulgação dos acontecimentos na escola e sobre seus projetos, tais como: “Mais Educação” e “Escola Comunidade”.

Trata-se de um blog institucional administrado por um professor.

Não se volta ao interesse dos alunos, no sentido de promover, de alguma forma, a construção de conhecimento.

 

 

E. M. E. F. João Paulo I

 

http://blogdaescolajp1.blogspot.com.br/

Acesso em 03/06/2012

 

 

Aluno

 

Blog institucional administrado por aluno, criado com o objetivo de mostrar a comunidade os eventos da escola. Tem um post convite para a participação de blogueiros, mas não foram encontradas outras colaborações. Há links para o blog do Grêmio estudantil. Não apresenta links para blogs educacionais ou de alguma área específica para estudo.

 

 

E. M. E. F. João Paulo I

 

http://lerecriartextos.blogspot.com/

Acesso 04/06/2012

 

 

 

Professora

 

 

A proposta do blog é a de sugerir leituras. Há a participação dos alunos, nos comentários, através de debates e redações sobre temas diversos solicitados pela professora da área de Língua Portuguesa. Não há um link com o blog institucional administrado pelo aluno do Grêmio estudantil da escola.

 

 

E. M. E. F. Ministro Rubem Carlos Ludwig

 

http://educministro.blogspot.com/

Acesso em 04/06/2012

 

 

Professor

 

Blog institucional apresenta a Proposta Político Pedagógica da escola, eventos através de vídeos e fotos digitais. Há sugestões de atividades didáticas para consulta dos professores. Não há a participação dos alunos na autoria, nem através dos comentários.

 

 

E. M. E. F. Nelson Paim Terra

 

http://labindonelson.blogspot.com

 

Acesso em 04/06/2012

 

Professor

 

Espaço criado para divulgação de trabalhos e projetos escolares desenvolvidos na escola.

Não há experiências de colaboração e interação dos alunos no projeto com o uso da ferramenta blog.

 

E. M. E. F. Pinto Bandeira

 

http://coronelfranciscopintobandeira.blogspot.com/

Acesso em 04/06/2012

 

 

Professora

 

Notícias sobre a instituição, divulgação de projetos e trabalhos didáticos da escola. Há links para outros dois blogs administrados pela professora o “Fala (e escreve) sério!” que traz uma coletânea de exercícios pesquisados na internet, com o objetivo de desenvolver a produção textual (material para os educadores) e o blog “Diversidade” http://mlchultes.blogspot.com/, que apresenta projetos desenvolvidos pela escola sobre o tema.

O blog não esta sendo explorado como uma ferramenta de colaboração e interação para a construção do conhecimento.

 

E. M. E. F. Rio de Janeiro

 

http://informativorj.blogspot.com.br/

Acesso em 04/06/2012

Número de visitas: 30.312

 

Professores e alunos (administradores)

 

O espaço tem por objetivo ser parte de um projeto Interação, Construção, Colaboração e Aprendizagem. Este blog central é um ponto de referência para professores, alunos e comunidade. Nele há entrevistas, curiosidades, projetos educacionais, relatos de experiências, links de endereços na web para consulta e apoio pedagógico de alunos e professores. A tecnologia blog é explorada de como recurso e estratégia de aprendizagem através do próprio blog central nos blogs por grupo de pesquisa e por equipes de estudo. Atualmente são mais de cinquenta blogs administrados por grupos de alunos mediados por seus professores. Estes blogs proporcionam colaboração na construção do conhecimento.

 

 

E. M. E. F. Rio de Janeiro

 

http://educacaoambientalrj.blogspot.com/

Acesso em 20/08/2012

Número de visitas: 6.060

 

Professores (administradores) e alunos (autores)

 

Blog por grupo de pesquisa, com a participação ativa dos alunos, não somente nos comentários, mas como colaboradores e coordenadores na divulgação de seus trabalhos. O espaço é organizado por páginas. O projeto cria a possibilidade de uma aprendizagem interativa capaz de promover, a colaboração e a participação de todos na construção do conhecimento.

 

 

E. M. E. F. Tancredo de Almeida Neves

 

http://emeftancredo.blogspot.com.br

Acesso em 20/08/2012

 

 

Professor

 

Blog institucional, sem frequência na atualização dos posts, o mesmo foi desenvolvido para informar a comunidade em geral , sobre as atividades da escola.

Não se volta ao interesse dos alunos, no sentido de promover, de alguma forma, a construção de conhecimento.

 

 

E. M. E. F. Theodoro Bogen

 

http://escolatheodorobogen.blogspot.com.br/

Acesso em 21/08/2012

Número de visitas: 762

 

 

Professora

 

Criado para divulgação de trabalhos pedagógicos da comunidade escolar e eventos.

Não é um espaço que permita um aprendizado colaborativo. Uma vez que não proporciona a interatividade. Não há a participação dos alunos, nem através dos comentários.

Não se volta ao interesse dos alunos, no sentido de promover, de alguma forma, a construção de conhecimento.

 

 

E.M.E.F. Rondônia

 

http://emefrondonia.blogspot.com.br/

Acesso em 21/08/2012

Número de visitas: 4018

 

Professora

 

Criado por uma professora do projeto Múltiplas Tecnologias com o objetivo “mostrar o cotidiano da escola”, conforme frase postada no blog, para a divulgação de trabalhos e projetos educacionais.

O mesmo não possui uma atualização frequente.

O blog não promove atividades colaborativas ou interativas, sendo assim não possibilita a construção de conhecimento.

 

Fonte: Próprio autor, 2012.

 

 

 

 

 

 

Em Canoas, 16 escolas dentre 42 já possuem e administram o blog (Quadro-0 1), pois compreendem que a utilização das tecnologias no processo educativo vem para aprimorar e enriquecer as práticas pedagógicas da atualidade, assim como, resgata o interesse e melhora o aproveitamento dos alunos na sala de aula.

Os blogs educativos das escolas, em sua maioria são administrados por professores. A E. M. E. F. João Paulo I é a única escola da rede que possui um blog institucional administrado somente por alunos. Este blog foi criado com o objetivo de divulgar os eventos da escola. A E. M. E. F. Rio de Janeiro, Governador Walter Peracchi Barcellos e Guajuviras permitem que blogs administrados tanto pelos professores como por alunos. Estas propostas didáticas abrangem uma construção coletiva de aprendizagens onde todos os agentes são colaboradores e o papel do professor é de mediador e não de o detentor único do conhecimento.  Para Pierre Lévy (1993, p. 135), o saber não está mais em um indivíduo, mas sim:

 

[...] numa rede na qual neurônios, módulos cognitivos, humanos, instituições de ensino, línguas, sistemas de escrita, livros e computadores se interconectam, transformam e traduzem as representações.

 

 As demais escolas possuem esta ferramenta digital administrada somente por professores e buscam a divulgação de eventos e fotos; dão dicas de leituras; sugerem exercícios; divulgam os trabalhos pedagógicos ou, ainda, mostram ações realizadas no Projeto Mais Educação e na Escola Comunidade.

Os blogs do Quadro 01, de um modo geral, funcionam como instrumento de comunicação, possibilitando um espaço na rede, seja ele individual, em grupo de pesquisa ou equipe de estudos. Para Gomes e Silva (2006, p.292).

 

[...] quer blogues que se dirigem especificamente a actividades escolares de carácter curricular e conteudal (focando conteúdos programáticos de um determinado nível de escolaridade e/ou de determinada disciplina) ou de carácter extracurricular, quer todo um conjunto de blogues que, não tendo sido idealizados tendo em vista qualquer tipo de exploração em contexto escolar, são, contudo fortemente educativos e passíveis de serem explorados como um recurso educativo adicional.

 

         Na próxima seção será abordada a análise de conteúdo do questionário aberto realizado com a coordenadora responsável pelo N. T. E. (Núcleo de Tecnologia Educacional).

 

 

5.3 Análise de conteúdo do questionário aberto

 

Foi realizado um questionário aberto (anexo b) com a coordenadora pedagógica do núcleo tecnológico do município de Canoas, ao qual foi aplicada análise do conteúdo, de acordo com as ideias de Bardin (2002, p.19).

 

A análise do conteúdo é uma técnica de investigação que tem por      finalidade a descrição objetiva, sistemática e quantitativa do conteúdo manifesto da comunicação.

 

Este instrumento de pesquisa foi empregado para determinar a presença de algumas palavras ou conceitos dentro de um texto com a finalidade de fazer inferências sobre as mensagens contidas no mesmo.

 É importante destacar que existe somente uma coordenadora e que os professores do projeto múltiplas tecnologias são multiplicadores dos trabalhos desenvolvidos por esta coordenação.

       Com base nas respostas dadas pela coordenadora do Proinfo, percebe-se que a interação tem sido algo almejado pelos educadores de modo geral. E, ao olhar da coordenadora, se pode afirmar que os Blogs com fins educacionais potencializam esta possibilidade didática, uma vez que “[...] existe a reciprocidade de informações e a utilização de recursos tecnológicos, chama muito mais a atenção de crianças e jovens.” A professora acredita que o uso da tecnologia Blogs pode promover competências para desenvolver a colaboração entre alunos e professores, pois “[...] a comunicação, a troca de informações, a possibilidade de troca imediata no ciberespaço, dessa forma, tanto professor como alunos tornam-se [...] emissores e receptores, produtores e consumidores de mensagens”. Tal concepção vai ao encontro de Komesu (2005, p.113), quando afirma que:

 

[...] o blog é concebido como um espaço em que o escrevente pode expressar o que quiser na atividade da (sua) escrita, com a escolha de imagens e de sons que compõem o todo do texto veiculado pela internet. A ferramenta empregada possibilita ao escrevente a rápida atualização e a manutenção dos escritos em rede, além da interatividade com o leitor das páginas pessoais.

 

O Núcleo de Tecnologias vem propondo ações de uso do blog como tecnologia de apoio às práticas educacionais, afirma a coordenadora, através de formações continuadas, auxílio na manutenção dos blogs, e sanando dúvidas referentes aos mesmos. Tais ações, propostas pela coordenação, ainda não estão gerando resultados plenamente satisfatórios, conforme apontam as manifestações obtidas no questionário fechado, onde podemos constatar que grande parte dos professores não vem fazendo uso da tecnologia blog em suas práticas pedagógicas.

A formação continuada, para professores de sala de aula e os professores do Projeto Múltiplas Tecnologias, conforme reposta  da coordenadora do núcleo,  visa a ampliação e sistematização de conhecimentos destes profissionais, refletindo na melhoria da qualidade de ensino por meio do uso do blog nas práticas pedagógicas. Eis que:

 

O uso do computador em ambientes de aprendizagem implica em entender o computador como uma nova maneira de representar o conhecimento, provocando um redimensionamento dos conceitos já conhecidos e possibilitando a busca e compreensão de novas ideias e valores (VALENTE, 1993, p. 07).

 

Como se pode perceber, ainda é um número pequeno de escolas que 

investem e acreditam que a tecnologia de informação representa um importante papel na educação. Entretanto, salienta-se que a tecnologia não representa uma finalidade em si mesma, mas sim deve ser explorada como um recurso que venha a apoiar estratégias pedagógicas focadas na aprendizagem do aluno.

 

5.4  Fechamento das análises

Com base nos dados apresentados no item anterior percebe-se que apesar de haver inúmeras atividades possíveis com o uso do blog, poucos educadores utilizam-no no seu cotidiano escolar. Tal ferramenta pode constituir importante estratégia nas práticas pedagógicas atuais, visando apresentar formas de como trabalhar adequadamente as TICs -Tecnologias de Comunicação e Informação para facilitar o processo-pedagógico de maneira significativa.

No entanto, para que isto ocorra, é necessário que o professor se sinta desafiado a buscar uma constante qualificação, respeitando os reais interesses dos alunos, eis que:

 

Ensinar e aprender exige hoje muito mais flexibilidade espaço-temporal, pessoal e de grupo, menos conteúdos fixos e processos mais abertos de pesquisa e de comunicação. Uma das dificuldades atuais é conciliar a extensão da informação, a variedade das fontes de acesso, com o aprofundamento da sua compreensão, em espaços menos rígidos, menos engessados. Temos informações demais e dificuldade em escolher quais são significativas para nós e em conseguir integrá-las dentro da nossa mente e da nossa vida (MORAN, 2000, pg.29).

 

           

O cotidiano escolar exige muito mais do que conteúdos significativos. Ele exige o uso de tecnologias digitais, importante à vida escolar, à vida profissional e social de todo indivíduo. O saber-pensar e o saber-fazer da educação tecnológica é tema de constantes discussões, pois seus conceitos, seus objetivos e novos paradigmas estão colocados no mundo de hoje como uma concepção talvez mais estratégica numa fase de transição entre a modernidade e a pós-modernidade, pois, conforme Lemos (2004, pg. 114-115):

 

A interação homem-tecnologia tem evoluído a cada ano no sentido de uma relação mais ágil e confortável. Vivemos hoje a época da comunicação planetária fortemente marcada por uma interação com as informações, cujo ápice é a realidade virtual. A interatividade digital caminha para a superação das barreiras físicas entre os agentes (homens e máquinas) e para uma interação cada vez maior do usuário com as informações, e não com objetos.

 

As novas tecnologias quando bem usadas são valiosas ferramentas e ajudam a fazer realmente uma educação para todos, para isso devemos estar dispostos a experimentar novas formas de ensino.

           Analisando o material apresentado nos itens anteriores é possível perceber que o trabalho pedagógico com o auxílio do blog é pouco expressivo, apesar de que todos concordem sobre os resultados efetivos e inovadores desta tecnologia educativa.

É preciso aceitar o desafio de construir com os alunos um espaço de conhecimento e socialização da tecnologia com a intenção de analisar, adequar a realidade e promover a interação do aluno com o meio em que vive, despertando sua capacidade de pensar, estabelecer relações, identificar problemas e procurar alternativas para solucioná-las.

            O mundo educacional foi bombardeado pela informática. Por que a tecnologia digital não se incorporou às salas de aula? Surgem novas formas de pensar, de aprender e de ensinar, mas a internet participa timidamente destas mudanças. O educando se torna mais exigente a cada dia, espera encontrar uma educação próxima do seu tempo. É papel das escolas oferecerem recursos inovadores nas suas práticas pedagógicas, aliando as TICs ao contexto educativo e, com isto, contribuir para a melhoria na qualidade de ensino.

            É significativo o número de professores que reconhecessem as vantagens dos blogs no processo da construção da aprendizagem, mas não fazem uso desta tecnologia nas suas práticas pedagógicas. Como apresentado anteriormente, somente 32% dos participantes afirmam que já construíram um blog para uso pedagógico em sua escola. Mas blogs educacionais com a participação ativa do aluno constam somente em 7% das instituições observadas.

O professor precisa ter um papel mediador, integrando seus alunos ao universo digital, assim como, as escolas devem iniciar a busca pela melhoria da qualidade de ensino, por meio da qualificação de seus profissionais na utilização das tecnologias e pela elaboração conjunta do Projeto Político Pedagógico que contemple as tecnologias da informação e da comunicação como material didático; como recurso pedagógico; como estratégia inovadora e, principalmente, como um conteúdo indispensável à formação efetiva dos alunos.

Desta forma, é necessário proporcionar aos professores cursos de capacitação criando condições para, de acordo com Valente (1999, p.2):

[...] criar condições para o docente construir conhecimento sobre as técnicas computacionais, entender por que e como integrar o computador na sua prática pedagógica (...) e ser capaz de superar barreiras de ordem administrativa e pedagógica, possibilitando a transição de um sistema fragmentado de ensino para uma abordagem integradora de conteúdo e voltada para a resolução de problemas específicos do interesse de cada aluno”.

 

É fundamental que os professores da atualidade possuam conhecimentos sobre computadores, a fim de compreender como e por que integrar o computador à sua prática pedagógica, superando barreiras e criando condições para alcançar seus objetivos pedagógicos.

Moran (1997, p.153) enfatiza o uso da tecnologia no contexto educacional afirmando que “[...] é uma ferramenta fantástica para abrir caminhos novos, para abrir a escola para o mundo, para trazer inúmeras formas de contato com o mundo”. O blog educativo amplia a visão dos educandos e dos educadores, pois extrapola os domínios do espaço educativo. O aluno aprende fora da escola e do olhar do professor, tornando-se responsável pela sua própria construção de conhecimento. Deixa de ser um mero espectador e passa a ser ator no processo ensino-aprendizagem, uma vez que o professor não se encontra mais como o detentor único do conhecimento.

            Para repensar o processo ensino-aprendizagem é necessário buscar novas formas de ensinar, inovar e motivar seu público-alvo, buscando uma atualização contínua. É com uma nova postura que o educador da escola atual será capaz de auxiliar seus alunos na organização das infinitas informações, contradições e visões presentes no mundo moderno.

 

 

 

 

 

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

A motivação desta pesquisa se deu a partir de observações sobre a existência de uma possível lacuna no uso do blog como estratégia pedagógica na rede municipal de Canoas. Para investigar a existência desta possível falha, procurou-se, a partir dos instrumentos de coleta, entender como as escolas participantes do projeto Múltiplas Tecnologias têm utilizado Blogs em suas práticas pedagógicas.

O estudo de caso, apoiado em dados quantitativos, obtidos a partir de questionários, e qualitativos, emergentes da realização de uma entrevista e da observação e análise sobre um conjunto de blogs permitiu compreender a influência das TICs na sala de aula.

O questionário permitiu conhecer o uso da blogosfera no cotidiano escolar por meio de perguntas simples e direcionadas para as Tecnologias da Informação e da Comunicação nas escolas da rede municipal de Canoas.

Para contemplar o primeiro objetivo, ou seja, observar práticas didático-pedagógicas, com o uso de blogs, na rede municipal de Canoas, utilizou-se a pesquisa documental, a partir dos materiais postados pelos professores nos blogs das suas escolas.

Para o contexto deste estudo, os comentários sobre o post foram levados em consideração, bem como o envolvimento e as ações dos blogueiros na produção do material. Considera-se que tais elementos também permitam definir a interatividade e colaboração desta ferramenta pedagógica.

O reflexo das ações dos professores e alunos, seu envolvimento e comentários são elementos de estudo indispensáveis à elaboração desta pesquisa, assim como para definir a colaboração traçada nesta ferramenta pedagógica.

Para melhor apresentar os processos metodológicos realizados durante a análise dos dados, organizaram-se dois pólos de abordagem nos quais foram possíveis evidenciar objetivamente as etapas e procedimentos cumpridos na pesquisa qualitativa bem como na quantitativa. Assim, temos a Pesquisa Quantitativa, realizada com os professores responsáveis pelo projeto Múltiplas Tecnologias das escolas de ensino fundamental da rede municipal da Canoas, vinculados com o projeto Proinfo do Ministério da Educação e Cultura (MEC).

Igualmente, vimos que o blog é uma ferramenta de comunicação e também de interação na Internet e que ele pode ser explorado pedagogicamente. Mas para que o uso pedagógico seja efetivamente uma prática constante é necessária uma mudança de postura: da mantenedora, dos gestores e dos educadores em geral. Cabe lembrar que o objetivo de introduzir novas tecnologias na escola é promover novas ações e práticas que não se podem realizar de outras maneiras.

Os programas de formação continuada, apesar de fornecerem suporte técnico ao professor, não garantem a mudança de postura. Afinal, não é fácil superar as próprias barreiras e assumir fraquezas e limitações. Segundo Nóvoa (2002, p.23), “[...] o aprender contínuo é essencial e se concentra em dois pilares: a própria pessoa, como agente, e a escola, como lugar de crescimento profissional permanente”.

O Projeto Político Pedagógico das instituições quando contempla o uso da blogosfera como ferramenta inovadora e indispensável à escolarização plena de nossos jovens, quando associada ao professor que tem domínio dos conteúdos e boa autoestima profissional serve como facilitador diante dos desafios tecnológicos encontrados.

A aquisição de conhecimentos básicos de informática é essencial a todo o profissional da área da educação. E, espera-se que tais profissionais tenham o conhecimento mínimo para utilizar as tecnologias da informação e da comunicação necessárias para desenvolver suas práticas pedagógicas e esclarecer algumas dúvidas técnicas de seus alunos, superando inseguranças e medos comuns a todos diante de situações novas. A apropriação das novas tecnologias na prática educativa acontecerá gradativamente de maneira consciente e tranquila.

Desta forma, a exclusão social gerada pelo desconhecimento do universo digital ou mesmo pela falta de acesso à tecnologia diminuirá gradativamente da nossa sociedade. É papel da escola é o de possibilitar tais conhecimentos. Assim como, é somente por meio de novas metodologias de ensino que o prazer em aprender voltará à sala de aula.

Atualmente, as TICs, além de serem fartas fontes de pesquisa e instrumentos de trabalho em sala de aula, também contribuem para o desenvolvimento do aluno e do professor, ampliando a eficiência da atividade humana em todas as esferas.

As escolas precisam bem mais do que laboratórios de informática equipados. A mudança do educador é urgente, assim como os procedimentos utilizados em sala de aula são imprescindíveis para que nossos jovens se tornem indivíduos autônomos diante do uso da blogosfera, quer seja dentro ou fora do contexto escolar.

 

REFERÊNCIAS

 

BARDIN, Laurence.  Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2002.

 

FERREIRA, B. Débora. Blog como ferramenta da comunicação empresarial; 2008 <http://www.aberje.com.br/monografias/Monografiadebora.pdf>Acesso em: 30.05.2012

 

FREIRE, Paulo. Extensão em Comunicação?- 7ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

 

FREIRE, Paulo. Conscientização Teoria e prática da Libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 3ª Ed. São Paulo: Moraes, 1980.

 

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1975.

 

GOMES, Maria João; LOPES, António Marcelino (2007) - Blogues escolares: quando, como e por quê? Disponível em:<https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/6487/1gomes2007.pdf> Acesso em: 22. Dezembro. 2011

 

GOMES, M. J, SILVA, A. R. - A blogosfera escolar portuguesa: contributos para o conhecimento do estado da arte. Revista de Ciências da Informação e da Comunicação do CETAC, p. 289-309, out. 2006.

 

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA- INEP- Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/basica-censo>. Acesso em: 25. Maio. 2012.

 

KOMESU, Fabiana. C. Blogs e as práticas de escrita sobre si na Internet. In: MARCUSCHI, L. A. e XAVIER, A. C. (Orgs.). Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção do sentido. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005. Disponível em: <www.ufpe.br/nehte/artigos/Blogs-Fabiana-Komesu.pdf> Acessado em 10. Dezembro. 2011.

 

LARA, Tíscar (2005). Blogs para educar. Usos de lós blogs em um pedagogia constructivista, Revista Telos-cuadernos de comunicação, tecnologia y sociedad, nº65. Disponível em:

<http://sociedadinformacion.fundacion.telefonica.com/telos/articulocuaderno.asp@idarticulo=2&rev=65.htm>.  Acessado em: 30. Maio. 2012.

 

LEMOS André, Cibercultura, Tecnologia e Vida Social na Cultura Contemporânea - Porto Alegre: Sulina, segunda edição, 2004. 295p.

 

LÉVY, PIERRE, Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1999 a.

 

LÉVY, PIERRE, A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço-2 edição tradução de Luiz Paulo Rouanet. São Paulo: Loyola, 1999 b.

 

LÉVY, PIERRE, As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1993.

 

LINS, SERGIO, Sinergia Fator de Sucesso nas Realizações Humanas- Editado pelo Campus -Elsevier- 2005.

 

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA – Disponível em: <http://portaldoprofessor.mec.gov.br>. Acesso em: 20. Julho. 2012.

 

MONTAGNA, Amanda. Inclusão Digital chega a todas as escolas da rede pública de Canoas- entrevista com Paulo Ritter. Diário de Canoas – 2010 –Disponível em: <http://www.diariodecanoas.com.br/canoas/262377/inclusao-digital-chega-a-todas-as-escolas-da-rede-publica-de-canoas.html>. Acesso em: 06. Fevereiro. 2012

 

MORAN, José Manuel/Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica/Marcos T.Masetto, Marilda Aparecida Behrens- Campinas, SP: Papirus, 2000.

 

MORAN José Manuel, Os novos espaços de atuação do professor com as tecnologias, Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 4, n.12, p.13-21, maio/ago. 2004.

MORAN, José Manuel. Desafios na comunicação pessoal: gerenciamento integrado da comunicação pessoal, social e tecnológica. São Paulo: Paulinas, 2007.

 

MORAN, José M. Como Utilizar a Internet na educação, Revista Ciência da Informação, Vol.26, nº 2, maio-agosto 1997, p. 146-153.

 

NÓVOA, A. Prefácio. In: Histórias de vida: destacados educadores fazem a história da educação rio-grandense. 2ª ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

 

NÓVOA, A. Formação de professores e trabalho pedagógico. Lisboa Portugal: Educa 2002.

 

PELLEGRINI, Denise. O ensino mudou. E você? Referenciais do MEC mostram competências que o professor precisa desenvolver para dar aulas melhores. Disponível em: < http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/midia-novas-praticas-de-ensino-no-mundo-globalizado/14354/>. Acesso em: 20. Agosto. 2012.

 

PONTE, João Pedro (2006). Estudos de caso em educação matemática. Bolema, 25, 105-132. Este artigo é uma versão revista e atualizada de um artigo anterior. Ponte, J. P. O. (1994). O estudo de caso na investigação em educação matemática. Quadrante, 3(1), p, pp3-18. (republicado com autorização)

 

P. M. C. Prefeitura Municipal de Canoas – 1ª Mostra de trabalhos do Projeto Semear expõe atividades realizadas em sala de aula ( 2006) Disponível em: <http://antigo.canoas.rs.gov.br/Site/Noticias/Noticia.asp?notid=2136> Acesso em: 06. Fevereiro. 2012.

 

PRIMO, Alex.  Avaliação em processos de educação problematizadora on line.In: Marco Silva; Edméa Santos. (org.). Avaliação da aprendizagem em educação on line. São Paulo: Loyola, 2006, v., p.38-49.

 

PRIMO, Alex. O aspecto relacional das interações na Web 2.0. E- Compós (Brasília), v. 9, p. 1-21, 2007.

 

PRIMO, Alex.  Fases do desenvolvimento tecnológico e suas implicações nas formas de ser, conhecer, comunicar e produzir em sociedade. In PRETTO, Nelson De Luca; SILVEIRA, Sérgio Amadeu. Além das redes de colaboração: Internet, diversidade cultural e tecnologias do poder- Salvador: EDUFBA, p. 51-68.

 

RUIZ, E. M. S. D. O blog, a gramática e o professor. In: Revista brasileira de linguística aplicada. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG. Vol. 5, n 1º, p. 115-133, 2005.

 

SANCHO Juana Maria; HÉRNANDEZ, Fernando. Tecnologias para transformar a educação; tradução Valerio Campos. -Porto Alegre: Armed, 2006.

 

SCHOLOSSER L.Rejane. Artigo: Atuação dos tutores nos cursos de educação à distância- Colabor@- Revista Digital da CVA- Ricesu, ISSN 15198529, volume 6º, número 22, fevereiro de 2010.

 

SILVA, M; SANTOS, E. (orgs.), Avaliação da Aprendizagem online. SP- Loyola, 2006.

 

VALENTE, José Armando. Computadores e Conhecimento: Repensando a Educação. Campinas: Unicamp. 1993.

 

VEEN, Wim, Homo Zappiens: educando na era digital, tradução Vinicius figueira; Porto Alegre: Artmed, 2009.

 

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores: São Paulo: Martins Fontes, 7ª. Ed/ 2007

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

APÊNDICE A- Questionário para os professores do projeto Múltiplas Tecnologias

 

1. Formação do professor:

      (    ) Magistério

(    ) Graduação Superior

(    ) Especialização

(    ) Mestrado

(    ) Doutorado

 

2. Impedimento para o uso das TICs nas escolas:

(   ) TICs insuficientes.

(   ) Falta conhecimento básico.

(   ) Não há problemas para o seu uso

(   ) Outras questões.

 

3. Já construiu um blog educacional para uso pedagógico em sua escola?

(   ) Sim.

(   ) Não

 

4. Utiliza e conhece as vantagens dos blogs educativos no processo da construção da aprendizagem?

(   ) Sim

(   ) Não

(   ) Parcialmente

 

5. Há relação entre Blogs educativos e a Proposta Político Pedagógica da sua escola?

     (   ) Sim

(   ) Não

(   ) Desconheço

 

6. Os alunos são administradores de Blogs Educacionais na sua instituição?

(   ) Sim

(   ) Não

 

7. Há “Blogosferas” que possuem um conjunto de práticas educativas com uma grande diversidade de abordagens. Você é participante de alguma?

(   ) Sim

(   ) Não

(   ) Desconheço

 

8. Marque as possíveis utilizações da tecnologia blog, enquanto recurso ou estratégia pedagógica:

(   )  Acesso a informação especializada.

(   ) Disponibilização de informação por parte do professor.

(   ) Interação com a participação ativa do aluno, sendo este administrador do blog

 (   ) Como portfólio digital.

(   ) Espaço de intercâmbio e colaboração.

(   ) Desconheço os recursos ou estratégias possíveis com essa tecnologia.

 

APÊNDICE B- Questionário para coordenadora do Núcleo de Tecnologia Educacional do município

 

    1. A interação tem sido algo almejado pelos educadores desde meados do século passado. É possível afirmar que os blogs com fins educacionais potencializam esta possibilidade didática? Por quê?

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

2.   De que forma o uso da tecnologia Blog pode promover competências para desenvolver a cooperação e colaboração entre alunos professores?

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

3.    O núcleo de Tecnologias vem propondo ações de uso do Blog como ferramenta de apoio às práticas educacionais? Em caso afirmativo, como se consolidam estas ações?

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Obrigada pela colaboração.

Curso de Especialização em Ação Educativa no Ensino Fundamental, (Unilasalle).

taniafries@bol.com.br

 

 

 

 

 

 



[1]
      O projeto Múltiplas Tecnologias é uma proposta de trabalho que tem por objetivo explorar os recursos tecnológicos disponíveis nas escolas da rede municipal de Canoas .O mesmo foi criado pelo núcleo de Tecnologias de Canoas com apoio do Proinfo.

[2]    Blogger, uma palavra criada pela Pyra Labs, é um serviço do Google, que oferece ferramentas para edição e gerenciamento de blogs, de forma semelhantemente ao Wordpress, mas indicado para usuários que nunca tenham criado um blog, ou que não tenham muito familiaridade com a tecnologia. O Blogger permite a hospedagem de um número ilimitado de blogs nos servidores do Google, que adotam o endereço .blogspot.com.

[3]          weblogsInEducation@SchoolBlogs.com

[4]    http://mlchultes.blogspot.com.br/

[5]   Acessado em 05 de Maio de 2012.

[6]   Acessado em 20 de Agosto de 2012.

[7]    O Projeto: "Blog Educativo: Interação, Construção, Colaboração e Aprendizagem", é uma atividade pedagógica desenvolvida no laboratório de Informática, da E. M. E. F. Rio de Janeiro, com a participação de alunos e professores e tem por objetivo explorar a ferramenta como recurso e estratégia pedagógica.

 

[8]   Uma Conta do Google permite-lhe ter acesso em todo o Google à maior parte dos produtos, como  o AdWords, Gmail  e YouTube, utilizando o mesmo nome de utilizador e palavra-passe.

[9]    Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP) é um conceito desenvolvido por Vygotsky, no qual se afirma que a aprendizagem acontece no caminho percorrido entre o conhecimento real e o conhecimento potencial. Em outras palavras, a ZDP é a distância existente entre o que o sujeito já sabe e aquilo que ele tem potencialidade de aprender. Seria neste campo que a educação atuaria, estimulando a aquisição do potencial, partindo do conhecimento da ZDP do aprendiz, para assim intervir. O conhecimento potencial, ao ser alcançado, passa a ser o conhecimento real e a ZDP redefinida a partir do que seria o novo potencial.

[10]        Google Earth (http://www.google.com.br/earth/index.html) permite explorar dados geográficos em um globo 3D usando um navegador da web.

[11]        Google Maps é um serviço de pesquisa e visualização de mapas e imagens de satélite da Terra gratuito na web fornecido e desenvolvido pela empresa estadunidense Google (https://maps.google.com.br).

[12]        YouTube é um site de compartilhamento de vídeos, no qual os usuários podem fazer upload, visualizar e compartilhar vídeos (http://www.youtube.com).

[13]         O Windows Movie Maker é um software de edição de vídeos da Microsoft. Atualmente faz parte do conjunto de aplicativos Windows É um programa que permite adicionar efeitos de transição, textos personalizados e áudio em filmes.

[14]        O projeto Semear é um programa de inclusão digital da prefeitura de Canoas às crianças que estudam nas escolas municipais, implantado a partir de 2001.

[15]        Proinfo (Programa Nacional de Tecnologia Educacional) é um programa educacional com o objetivo de promover o uso pedagógico da informática na rede pública de educação básica.

 

[16]        O ProJovem é um programa da Secretaria Nacional da Juventude que destina-se a promover a inclusão social dos jovens brasileiros de 18 a 29 anos que, apesar de alfabetizados, não concluíram o ensino fundamental, buscando sua reinserção na escola e no mundo do trabalho, de modo a propiciar-lhes oportunidades de desenvolvimento humano e exercício efetivo da cidadania.

[17]        Curso de 40 horas com material disponibilizado na web no endereço http://lief.wikispaces.com/. Conteúdo: Linux Educacional Debian, Ambiente gráfico KDE 3.5, Suíte BrOffice (Writer, Impress e Calc) e Navegador de internet: Iceweasel.

[18]        Estudo sobre os recursos disponíveis no software DOSVOX para o trabalhado pedagógico com alunos deficientes visuais.

[19]        Criação de atividades educativas no ambeiente Lim, através do editor EdiLim.

[20]        Como criar e manter blogs e wikis na web?

[21] O Portal do Professor do MEC, lançado em 2008 em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia, tem como objetivo apoiar os processos de formação dos professores brasileiros e enriquecer a sua prática pedagógica. Este é um espaço público e pode ser acessado no seguinte endereço http://portaldoprofessor.mec.gov.br/.

[22] Google Search foi o serviço da empresa google utilizado para as pesquisas na internet o endereço é http://www.google.com.br.

[23]           O estudo,realizou 90 mil entrevistas e continua se desenvolvendo na região com o objetivo de conhecer os hábitos das crianças e adolescentes no uso das novas tecnologias. Foram envolvidos sete países da América Latina.

 

—————

Voltar